A situação do uso da vacina AstraZeneca

Olivier THIBAULT
·2 minuto de leitura
Apesar das críticas e das dificuldades de abastecimento, a vacina AstraZeneca/Oxford é administrada em mais de 100 países ou territórios

Um resumo da situação das campanhas de imunização com a vacina anti-covid da AstraZeneca, que foram suspensas temporariamente em vários países por suspeitas de efeitos colaterais com trombose e coágulos sanguíneos.

O fármaco criado pelo laboratório anglo-sueco e por cientistas da universidade britânica de Oxford continua sendo, no entanto, a vacina anti-covid mais utilizada no mundo, de acordo com uma base de dados da AFP, que utiliza fontes oficiais.

- Vacinação suspensa -

A Noruega anunciou na sexta-feira a prorrogação até 15 de abril da suspensão do uso da vacina, por considerar necessário aprofundar a análise de eventuais efeitos colaterais após a detecção de uma combinação de sintomas atípicos de coágulos sanguíneos, hemorragia e queda de plaquetas no sangue em algumas pessoas vacinadas de menos de 55 anos, e até então em boa saúde.

Não foi estabelecido até agora nenhum vínculo dos efeitos com a vacina da AstraZeneca, mas uma equipe médica norueguesa afirma ver nestes casos, raros mas graves, a consequência de uma "poderosa resposta imunológica" gerada pelo fármaco.

A Dinamarca decidiu na quinta-feira prolongar por três semanas a suspensão para excluir qualquer vínculo entre os coágulos sanguíneos e a administração da vacina.

- Reservada aos mais velhos -

A Suécia anunciou na quinta-feira a retomada da vacinação com o fármaco da AstraZeneca para pessoas com mais de 65 anos, mas mantém a suspensão para os mais jovens, à espera de mais informações sobre os eventuais riscos.

Finlândia e Islândia fizeram anúncios similares na quarta-feira, autorizando a vacina para pessoas com mais de 65 e 70 anos, respectivamente.

No momento, a França limita a vacinação das pessoas com mais de 55 anos.

- Retomada da vacinação -

Após a opinião favorável da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), anunciada em 18 de março e que considerou a vacina da AstraZeneca "segura e eficaz", a maioria dos países europeus que suspenderam o seu uso retomaram as campanhas a partir do dia seguinte.

Este foi o caso da Itália e Alemanha. Na Espanha, a idade máxima para receber a vacina foi elevada de 55 a 65 anos.

Fora da Europa, os países que suspenderam temporariamente as doses da AstraZeneca, retomaram a vacinação após a opinião favorável da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 19 de março.

A OMS considera que os benefícios da vacina superam os riscos.

- A vacina mais usada -

Apesar das críticas e das dificuldades de abastecimento, além dos temores por efeitos colaterais, a vacina AstraZeneca/Oxford é administrada em mais de 100 países ou territórios.

Nenhuma de suas concorrentes chega perto. A vacina, barata, é utilizada tanto em países ricos (Reino Unido, União Europeia) como em países pobres.

Isto se explica pelo fato de que a AstraZeneca é a principal fornecedora do sistema Covax de entrega de vacinas anti-covid aos países mais pobres. A vacina também é utilizada na Índia.

ot/mw/mm/me/pc/fp