Skatista filipina volta para casa como heroína e ganha mais de dez fã-clubes no Brasil: 'Minha primeira Olimpíada foi épica'

·1 minuto de leitura

A simpatia de Margielyn Didal continua ganhando a empatia dos brasileiros. A skatista filipina, que virou amiga de Rayssa Leal durante a final do skate na Olimpíada de Tóquio, voltou para casa como heroína. E no Brasil ganhou mais de dez fã-clubes em poucos dias após a competição.

Alguns deles são híbridos para a atleta das Filipinas, de 21 anos, com a fadinha brasileira, de 13. Os novos fãs até ajudaram Didal a recuperar sua conta no Tik Tok, que havia sido hackeada após as postagens explodirem. "Acho que não gostaram muito das minhas dancinhas", brindou ela, com a irreverência peculiar.

após muitos pedidos e denúncias de seus seguidores, Didal já tem sua conta para dançar á vontade. Na volta ao país, a atleta olímpica fez questão de chamar atenção das autoridades sobre o skate.

"Minha primeira Olimpíada foi épica! Deus, obrigado por esta benção. Agradeço à minha família, namorada, amigos que me apoiaram desde o início e muito mais... Eu sou péssima em legendas e odeio drama, mas gostaria que tivesse boas pistas de skate nas Filipinas para que eu mostrasse como é divertido andar de skate", escreveu Didalnuma das legendas de fotos e vídeos que vem postando de sua performance na final.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos