SLC lucra R$194,2 mi no 4º tri; ajusta área de grãos 20/21 para baixo por clima adverso

·4 minuto de leitura
SLC Agrícola lucra R$194,2 mi no 4º tri com resultado "notável" de grãos

SÃO PAULO (Reuters) - A SLC Agrícola registrou lucro líquido de 194,2 milhões de reais no quarto trimestre de 2020, alta de 119% ante igual período do ano anterior, apoiada por um "avanço notável no resultado bruto das culturas", disse nesta quarta-feira a empresa, grande produtora de grãos, em um cenário de firme demanda externa e preços atrativos para a soja, milho e algodão.

Já o lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda ajustado) da companhia atingiu 397,9 milhões de reais no último trimestre do ano passado, avanço de 43,4% na comparação anual.

A companhia destacou que o lucro líquido do trimestre foi integralmente desencadeado pela operação agrícola, visto que não houve entrada de recursos por venda de terras.

A receita líquida dos três últimos meses de 2020 somou 1,125 bilhão de reais, alta de 37,4% no ano a ano, enquanto o volume de grãos faturado foi de 495,9 mil toneladas, avanço de 15,2%.

"A receita... foi decorrente, em grande parte, de melhores preços de faturamento em todas as culturas, ao que se somou o maior volume faturado nas culturas de algodão e milho", disse a empresa.

Considerando todo o ano de 2020, a SLC Agrícola reportou lucro líquido 510,9 milhões de reais, avanço de 62,2% ante 2019, enquanto o Ebitda ajustado da companhia no período somou 960,3 milhões de reais, ganho de 20,7%.

A receita líquida atingiu 3,09 bilhões de reais, aumento de 22,1%, ultrapassando pela primeira vez a marca de 3 bilhões.

"O avanço (do lucro) foi proveniente principalmente do maior resultado bruto das culturas de soja e milho, parcialmente compensados por uma redução no resultado do algodão no comparativo com 2019", afirmou a companhia.

SAFRA

A área de plantio da SLC para a safra 2020/21 foi estimada em 468,2 mil hectares, aumento de 4,4% no comparativo anual, mas um recuo em relação à previsão inicial divulgada em novembro de 2020, quando a companhia projetou alta de 5,2% para a semeadura.

"Houve leve redução... em função de alguns ajustes pontuais no planejamento ainda decorrentes do atraso no início das chuvas na região Centro-Oeste", afirmou.

A empresa informou que, com a redução na janela de plantio do algodão e milho de segunda safra, parte da área inicialmente planejada para o algodão foi transferida para o milho, que possui janela de plantio mais extensa, e para o algodão safra.

"Apesar do atraso nas chuvas, a nossa expectativa para a soja é de entrega da produtividade orçada. O algodão primeira safra, já foi plantado e está em estado vegetativo, com alto potencial produtivo. O algodão segunda safra, finalizou o plantio no final de fevereiro e o milho segunda safra deve finalizar o plantio até o final da primeira quinzena de março."

A SLC ainda disse que, até o presente momento, a perspectiva é que o algodão e milho "safrinha" entreguem produtividades dentro do esperado.

A companhia destacou também que está em processo de combinação de negócios com a Terra Santa Agro, o que deve elevar a área da SLC uma vez que o acordo seja concluído.

"Considerando a atual intenção de área de plantio para a safra 2020/21 divulgada pela Terra Santa, há potencial para incremento de aproximadamente 130 mil hectares à área de plantio da companhia (SLC)", disse.

PRÓXIMA TEMPORADA

A SLC disse que o alto patamar dos preços internacionais de soja, milho e algodão, aliado ao câmbio, tem favorecido o fechamento de vendas tanto desta safra quanto da temporada seguinte, de 2021/22, assim como a aquisição de insumos para a próxima temporada, que será plantada a partir de setembro.

"Até o momento já adquirimos toda a necessidade de fertilizantes fosfatados e de cloreto de potássio, e na linha de defensivos já adquirimos em torno de 15% da demanda da nova safra, ambas as negociações tendo apresentado redução expressiva nos valores em dólares quando comparados com a safra 2020/21."

"Considerando a conjuntura de custos e preços em dólar até o momento, e também o nível de câmbio atual, esperamos que o bom nível de rentabilidade se mantenha também para a 2021/22", acrescentou a SLC.

(Por Gabriel Araujo e Nayara Figueiredo)