Snapchat se torna ‘paraíso’ para traficantes e venda de drogas

·1 min de leitura
Snapchat logo
Rede social enfrenta denúncias desde outubro de 2021

(REUTERS/Dado Ruvic/Illustration)

  • Snapchat anuncia novas medidas para combater tráfico de drogas na rede social

  • Plataforma é acusada de ser paraíso para traficantes

  • Mais de sete mil jovens morreram após comprarem drogas via Snapchat

O Snapchat tem enfrentado uma série de acusações por se tornar um ambiente de venda ilegal de drogas nos Estados Unidos. O problema começou em outubro do ano passado e, desde então, a empresa Snap Inc., responsável pela plataforma, tem se comprometido a solucioná-lo.

Leia também:

Nesta terça-feira (18), a companhia garantiu que usuários entre 13 e 17 anos contarão com sistemas de controle parental reforçados e com novas travas na barra de buscas. O objetivo é impedir que eles encontrem conteúdos sobre drogas e que sejam encaminhados a materiais educativos sobre o assunto.

Além disso, afirmou que 88% dos conteúdos publicados sobre venda de drogas ilegais já são detectados por sistemas automatizados, sendo que os 12% restantes são reportados pelos usuários.

Entenda o caso

O Snapchat passou a ser acusado após uma investigação da NBC mostrar que a rede social era usada para o comércio ilegal de sintéticos, responsáveis por diversas mortes. Estima-se que mais de sete mil jovens perderam a vida devido ao consumo de drogas vendidas na plataforma, em 2020.

A maioria das substâncias comercializadas é exposta aos jovens como ansiolíticos ou calmantes, mas contém altas doses de fentanil, opioide 100 vezes mais forte que a morfina, de acordo com a Drug Enforcement Administration.

As altas doses de fentanil nas pílulas adulteradas foram responsáveis pelo envenenamento de diversas pessoas, já que é altamente letal. As informações são da Money Times.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos