Sob Bolsonaro, presidentes da Petrobras duram em média 10 meses, terceira menor marca da história

**Arquivo**BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  27-06-2022, 17h00. O presidente Jair Bolsonaro participa das novas emissão das novas Carteiras de Identidade Nacional . (Foto: Gabriela Biló /Folhapress)
**Arquivo**BRASÍLIA, DF, BRASIL, 27-06-2022, 17h00. O presidente Jair Bolsonaro participa das novas emissão das novas Carteiras de Identidade Nacional . (Foto: Gabriela Biló /Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A média de permanência dos presidentes da Petrobras no governo Jair Bolsonaro (PL) é a terceira pior desde a criação da estatal, em 1953. O tempo médio de duração de um executivo à frente da empresa, nos últimos três anos, é de 10 meses.

O governo atual só perde para as gestões de João Goulart e Fernando Collor, que não terminaram seus mandatos, com permanência média no comando da Petrobras de 9 meses e 6 meses, respectivamente.

O levantamento foi feito pelos cientistas políticos e apresentadores do podcast Maldita Politicagem, Alessandro Tokumoto e Luiz Domingos, em parceria com o Observatório Social do Petróleo (OSP).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos