Sob críticas, Nicarágua anuncia medidas tímidas contra coronavírus

SYLVIA COLOMBO

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Diante de uma onda de críticas por parte da comunidade internacional e da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, o ditador da Nicarágua, Daniel Ortega, anunciou algumas medidas de combate à pandemia do coronavírus.

Nesta quarta-feira (29), por meio da vice-presidente e principal porta-voz do governo, Rosario Murillo, mulher de Ortega, o regime passou a promover o distanciamento social e o uso de máscaras.

São orientações tímidas, mas que representam um avanço no enfrentamento da crise sanitária país. Há poucas semanas, Ortega havia reaparecido depois de uma ausência pública de 34 dias para dizer que a vida e a economia deveriam funcionar normalmente.

Segundo ele, o sistema de saúde local estava bem equipado para receber os doentes, e o país tinha naquele momento poucos casos confirmados - 13 infectados e 3 mortos, de acordo com os dados oficiais. Os números são os mesmos até hoje, segundo a universidade americana Johns Hopkins.

Já nesta quarta, Murillo afirmou que será feita a higienização dos "meios de transporte interurbanos, urbanos, dos pontos de ônibus, mercados e outros locais públicos".

A vice-presidente disse ainda que as escolas que quiserem também podem trabalhar com ensino a distância. Ortega havia dito que as escolas não seriam fechadas por conta da pandemia, mas muitos pais preferiram não levar seus filhos à aula.

As medidas anunciadas nesta quarta incluem o fechamento do aeroporto internacional de Manágua, a capital, que não tem data para voltar a funcionar.

Para tentar diminuir o impacto sobre a indústria do turismo, Murillo estimulou os nicaraguenses a viajar internamente --recomendação que entra em conflito com a ideia de isolamento social. "Visitar outros locais e fazer turismo é colaborar com a pátria", disse o filho de Ortega, Laureano Ortega, que é assessor presidencial para a promoção do turismo.

Na contramão das orientações de saúde, a Nicarágua tem promovido eventos esportivos e culturais. O boxe - uma paixão nacional - segue reunindo espectadores, apesar de algumas medidas de proteção, como uso de máscaras e distanciamento entre as pessoas.

O futebol também não parou, e a liga nacional tem sido transmitida por alguns canais esportivos europeus por ser uma das únicas ativas durante a pandemia.