Sobe para 21 o número de mortos em ataque na mesma sala de aula em escola do Texas; há número indeterminado de feridos

Chegou a 21 o número de mortos após um ataque a tiros nesta terça-feira em escola primária na cidade de Uvalde, no estado americano do Texas. No total , 19 crianças e dois adultos foram assassinados na mesma sala de aula, além de um número indeterminado de alunos feridos que sobreviveram. A ocorrência já é considerada o ataque mais mortal em uma escola desde Sandy Hook, em dezembro de 2012, quando 26 pessoas foram assassinadas, 20 delas menores de idade.

O atirador identificado como Salvador Ramos , de 18 anos, foi morto por policiais. Ele era morador da cidade e estudou no ensino médio em uma instituição próxima ao local do ataque. Conforme o governador Gregg Abbott, Ramos abandonou seu veículo próximo da escola Robb e entrou no prédio com um revólver e possivelmente um rifle.

O atirador comprou legalmente duas armas de um vendedor local em 17 de maio e 20 de maio, de acordo com o senador do estado do Texas John Whitmire, que recebeu um relatório preliminar da polícia sobre o caso na noite de terça-feira. Em 18 de maio, o suspeito também comprou centenas de cartuchos de munição, segundo as autoridades.

Além dos pelo menos 21 mortos, "diversas" crianças feridas sobreviveram, segundo informou uma autoridade de segurança pública do Texas nesta quarta sobre o ataque, que ocorreu em uma única sala de aula da quarta série. — Sabemos que houve diversas crianças que sobreviveram, que ficaram feridas. Não tenho o número exato neste momento — disse à Fox News o porta-voz do Departamento de Segurança Pública do Texas, Chris Olivarez.

Antes do ataque, Ramos atirou em sua avó em casa, segundo autoridades. Ele, então, dirigiu até a escola, onde bateu seu carro e entrou no prédio usando equipamento tático e carregando um rifle. Sua avó sobreviveu, mas está em estado crítico. Os investigadores esperam que ela possa esclarecer o motivo do ataque. Dentro da sala de aula , ele “começou a atirar em qualquer um que estivesse em seu caminho”, disse Olivarez.

A polícia cercou a Robb Elementary School, quebrando janelas em um esforço para retirar crianças e funcionários, disse à CNN Olivarez. Os agentes eventualmente invadiram a sala de aula onde ocorreu a chacina e mataram o atirador.

Ainda não está claro, porém, como a ação policial ocorreu. Isso porque, mais cedo, uma autoridade disse em condição de anonimato à agência de notícias Associated Press que um oficial da Patrulha de Fronteira dos EUA estava nas proximidades e, quando o ataque começou, correu para a escola sem esperar reforços e matou Ramos, que estava atrás de uma barricada.

A patrulha é responsável por monitorar pontos de entrada no país e como Uvalde fica a menos de 130 quilômetros da fronteira com o México, abriga um posto do grupamento. O agente ficou ferido, mas conseguiu caminhar para fora da escola, segundo a fonte da AP. De acordo com o governador do Texas, um outro agente também sofreu ferimentos leves.

Uma das armas do atirador foi encontrada no carro que ele abandonou perto da escola, a outra estava dentro do prédio. Uma mochila com vários cartuchos estava na entrada da escola, e, mais perto da cena do crime, as autoridades encontraram dezenas de cartuchos. A quantidade de munição utilizada apenas será confirmada após a reconstituição da cena do crime.

O atirador faltava às aulas frequentemente e tinha poucos amigos, disseram conhecidos ao New York Times. Jeremiah Muñoz estava no último ano do ensino médio quatro anos atrás quando se uniu a Ramos, então calouro, por causa de seu amor compartilhado por videogames, particularmente os jogos Fortnite e Call of Duty. Muñoz, de 22 anos, disse que mesmo naquela época, ele se lembrava de estudantes provocando Ramos, ridicularizando suas roupas ou se referindo de maneira rude à sua mãe ou irmã.

Charlie Marsh, uma jovem de 17 anos da mesma série de Ramos, disse que já ouviu pessoas o xingando, incluindo com um insulto homofóbico. No fim de semana, Ramos enviou uma fotografia de dois rifles pretos para Muñoz, semelhante a um que ele postou em sua conta no Instagram. Muñoz disse que, quando jogava videogame com Ramos, muitas vezes o ouvia discutindo com sua mãe pelo microfone. A mãe de Ramos gritava com ele, dizendo que precisava ir à escola e que não estava fazendo nada com sua vida. Segundo Muñoz, Ramos gritava de volta, com palavrões.

Ele costumava sair da casa de sua mãe e ficar com sua avó por vários dias depois de grandes brigas, disse Muñoz e, no ano passado, parecia que passava ainda mais tempo na casa da avó. Não está claro, no entanto, se essa é a avó que Ramos teria baleado antes do massacre. Várias pessoas que seguiram Ramos no Instagram disseram que o conheceram em sites para se conectar com estranhos, incluindo o Yubo, um aplicativo que permite que as pessoas façam transmissões ao vivo de si mesmas para se promover como uma forma de “fazer amigos”.

O presidente americano Joe Biden fez um pronunciamento sobre o ataque após retornar de sua viagem à Ásia, afirmando que "temos de agir" e que é necessário enfrentar o lobby das armas. Emocionado, ressaltou que os pais das vítimas "nunca verão seus filhos novamente, nunca mais os terão pulando na cama e se aconchegando a eles".

— Estou doente e cansado disso. E não me diga que não podemos ter um impacto nessa carnificina. Pelo amor de Deus, temos que ter a coragem de enfrentar a indústria — afirmou o presidente com uma voz trêmula, dizendo que "é hora de transformar essa dor em ação". — Outro massacre em uma escola primária do Texas. Lindos e inocentes alunos da segunda, terceira e quarta séries. Como nação, temos que perguntar: quando, em nome de Deus, vamos enfrentar o lobby das armas?

Nesta quarta, Biden reforçou no Twitter o pedido para que o Congresso aprove uma legislação de segurança de armas.

"Sabemos que as leis sobre armas não podem e não vão evitar todas as tragédias. Mas sabemos que funcionam e têm um impacto positivo. Quando aprovamos a proibição de armas, chacinas caíram. Quando a lei expirou, triplicaram", escreveu.

Durante uma entrevista coletiva, o superintendente do Conselho de Educação de de Uvalde, Hal Harrell, disse que um atendimento psicológico estará disponível para estudantes, funcionários, pais e membros da comunidade na manhã desta quarta-feira. Harrell também anunciou o fim do letivo e o cancelamento de todas as atividades do distrito escolar. As aulas deveriam terminar nesta quinta na escola por causa das férias. Em vez de pensarem em planos de verão, pais passaram a terça-feira esperando horas sobre o destino de seus filhos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos