Sobe para 29 número de mortos em operação policial no Jacarezinho

·1 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Um conflito entre policiais e traficantes na favela do Jacarezinho, na zona norte da capital fluminense, fez mais uma vítima, elevando para 29 o total de mortos na ação mais letal já deflagrada pelas forças de segurança na cidade, na quinta-feira, informou a Polícia Civil neste sábado.

A nova morte seria de um suspeito que estava hospitalizado, segundo informações da polícia.

"A Polícia Civil informa que 28 criminosos e o inspetor de polícia André Leonardo de Mello Frias morreram na operação", disse em nota.

A identidade da nova vítima não foi revelada e apenas três dos 28 suspeitos mortos já foram identificados.

O policial André Frias, que morreu na operação, foi sepultado na sexta-feira.

Moradores protestaram na comunidade também na véspera e rejeitaram a versão da polícia de que todos os mortos eram envolvidos com o crime.

Anteriormente, a Defensoria Pública e o Ministério Público do Rio de Janeiro informaram que abriram uma investigação sobre a atuação da polícia na ação no Jacarezinho.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu na véspera esclarecimentos ao governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), e a outras autoridades estaduais sobre as circunstâncias da operação.

Anteriormente, o governador afirmou que conversou com Aras e com o ministro Edson Fachin, do STF, e determinou total transparência ao processo de apuração das circunstâncias da operação, mas ressaltou que "a reação dos bandidos foi a mais brutal já registrada em todos os tempos, com armas de guerra para repelir a ação do Estado".

(Por Rodrigo Viga Gaier)