Sobe para 40 número de cachorros mortos após ingerir petiscos contaminados

Cerca de 40 cachorros morreram após ingerir petiscos contaminados - Foto: Getty Images
Cerca de 40 cachorros morreram após ingerir petiscos contaminados - Foto: Getty Images
  • Já são "cerca de 40" cachorros mortos após ingestão de petiscos da Bassar, disse a polícia

  • Casos espalharam-se por nove estados brasileiros, além do Distrito Federal

  • Polícia pediu que tutores fiquem atentos a uma série de sintomas em seus cães

A Polícia Civil de Minas Gerais informou que chegou a "cerca de 40" o número de cachorros mortos após ingerir petiscos contaminados da empresa Bassar.

Apenas em Belo Horizonte, onde os primeiros casos foram confirmados e local em que se concentra o foco do problema, são oito óbitos confirmados.

“Hoje, foi registrada mais uma ocorrência de óbito, além de outras internações. Em Belo Horizonte, já são oito casos de óbitos e tem chegado ao meu conhecimento várias outras mortes Brasil afora, cerca de 40 até o momento”, relatou a delegada responsável pelo caso, Danúbia Quadros.

De acordo com informações do g1, os relatos de mortes por ingestão dos petiscos se espalham por oito estados brasileiros, além de Minas Gerais e do Distrito Federal: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Alagoas, Sergipe e Goiás.

Danúbia alertou aos tutores que fiquem atentos para os seguintes sintomas após consumo destes petiscos: convulsão, diarreia, vômito e prostração. Se o animal apresentar algum desses sinais, é importante procurar uma delegacia.

Entenda o caso

A suspeita da Polícia Civil e de os animais tenham sido intoxicados por etilenoglicol, em três tipos de petiscos comprados em pet shop: o Dental Care, o Everyday e o Petz Snack Cuidado Oral, todos da marca Bassar.

"São lotes diferentes, são vários lotes. Os petiscos que as tutoras trouxeram para a gente, todos já foram encaminhados para a realização da perícia técnica cientifica da Polícia Civil, então, a gente agora aguarda o laudo em relação aos petiscos", explicou a delegada ao g1.

Em nota, a Bassar afirmou que decidiu interromper a produção de sua fábrica até que sejam totalmente esclarecidas as suspeitas de contaminação de pets envolvendo lotes de seus produtos.

A empresa revelou que também contratou uma empresa para realizar inspeção em seus processos de produção e recolherá todos os produtos da empresa nacionalmente, conforme determinação do Ministério da Agricultura, Pecuário e Abastecimento.