Sobrevivente de Auschwitz diz que prisões norte-coreanas são piores

Google Earth

As cadeias de trabalho forçado para presos políticos na Coreia do Norte são tão terríveis ou até piores do que os campos de concentração do Holocausto, segundo Thomas Buergenthal, renomado juiz sobrevivente de Auschwitz, após audiência com guardas prisioneiros norte-coreanos. A reportagem é do jornal Washington Post.

O magistrado, que serviu ao Tribunal Internacional de Justiça (TIJ), acredita que o líder norte-coreano Kim Jong-un deveria ser julgado por crimes contra a humanidade pela maneira como o regime usa as prisões políticas para controlar a população.

“Acredito que as condições nos campos de prisão (norte-)coreanos são tão terríveis, ou até piores, quanto as que vi e vivenciei em minha juventude nos campos nazistas e em minha longa carreira profissional na área de direitos humanos”,  afirmou Buergenthal, que esteve em Auschwitz e Sachsenhausen quando criança.

Ele e outros dois juízes obtiveram depoimentos e provas de ex-prisioneiros, guardas e especialistas como parte de um inquérito aberto pela Associação Internacional de Advogados.

O relatório que resultou da investigação indica que há ampla evidência para incriminar o regime norte-coreano com dez entre 11 crimes de guerra reconhecidos internacionalmente, incluindo assassinato, escravidão, tortura e violência sexual.

Especialistas estimam que há cerca de 130 mil norte-coreanos detidos em quatro grandes campos, onde são forçados a trabalhar, normalmente em minas de carvão, e recebem pouquíssima comida, roupas e até aquecimento.