Socorristas correm contra o tempo para resgatar mineiros no México

Socorristas continuavam nesta quinta-feira (4) as buscas por dez mineiros presos após um deslizamento de terra na quarta-feira em uma mina de carvão em Sabinas, noroeste do México.

Os trabalhos avançavam enquanto os familiares aguardavam angustiados nos arredores da escavação, de 60 metros de profundidade, que colapsou repentinamente ao ser inundada por três poços conectados à galeria.

"Aqui o tempo é muito importante, estamos muito concentrados (...) para poder resgatar os mineiros o quanto antes", disse Laura Velázquez, coordenadora nacional da Defesa Civil, durante a conferência diária do presidente Andrés Manuel López Obrador.

"Desejo com toda minha alma que os mineiros sejam resgatados", expressou o presidente. "Não podemos perder a fé e a esperança", afirmou, dirigindo-se às famílias dos trabalhadores.

Um total de 234 socorristas do Exército e outras entidades do governo foram enviados ao local do acidente, cerca de 1.130 km ao norte da Cidade do México, na região carvoeira do estado de Coahuila, informou nesta quinta-feira a secretária de Defesa.

Após o colapso, cinco mineiros conseguiram sair e foram levados ao hospital, dois deles já receberam alta, informou Velázquez.

Cinco bombas de extração estão sendo utilizadas nos trabalhos, mas o presidente fez um pedido à Comissão Nacional de Água para que mais equipamentos sejam empregados.

A inundação "amoleceu as paredes do interior, fazendo com que os trabalhadores ficassem bloqueados", explicou a Secretaria de Segurança.

"Para chegar às minas é preciso descer por três poços, é difícil, mas estamos conseguindo. Bombas estão sendo utilizadas para extrair a água", afirmou Velázquez.

- Angústia -

No local, alguns familiares não conseguiam esconder seu pessimismo. "É uma tragédia, não há muita esperança", disse na noite de quarta-feira à emissora Milenio José Luis Amaya, primo de um dos mineiros.

Outros protagonizaram cenas dramáticas em torno da mina, que foi cercada pela Guarda Nacional.

A mãe de um dos mineiros chorava copiosamente diante das câmeras, incapaz de responder as perguntas da imprensa. Outra mulher não identificada declarou que dois de seus filhos trabalhavam no local e que um deles conseguiu sair.

Em junho de 2021, sete mineiros morreram após o colapso de outra mina de carvão na região de Múzquiz, também em Coahuila, principal produtor do mineral no México.

O mais grave acidente em minas na região foi em 19 de fevereiro de 2006, quando uma explosão de gás na mina Pasta de Conchos provocou a morte de 65 trabalhadores. Somente dois corpos foram recuperados.

jla-jg/st/axm/ll/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos