Solicitações de asilo caem na União Europeia e saltam nos Estados Unidos, diz OCDE

Por Richard Lough
Filhos de imigrantes detidos jogam bola em acampamento construído pelo governo dos EUA na fronteira com o México 18/06/2018 REUTERS/Jose Luis Gonzalez

Por Richard Lough

PARIS (Reuters) - O número de pessoas fugindo de guerras ou conflitos para partes mais estáveis do mundo caiu significativamente em 2017, embora os Estados Unidos tenham registrado um aumento acentuado nas solicitações de asilo durante o primeiro ano do presidente Donald Trump na Casa Branca.

Em um relatório mais amplo sobre tendências de imigração, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) disse que o maior êxodo foi, pelo terceiro ano seguido, de Afeganistão, Síria e Iraque.

O relatório dfoi lançado em um momento em que a imigração está pautando políticas na Europa e nos Estados Unidos.

A União Europeia está gravemente dividida sobre o tema e tem enfrentado dificuldades para revisar suas regras de asilo, focando, ao invés disso, em reforçar suas fronteiras e impedir novas entradas.

Solicitações de asilo para países da OCDE caíram 25 por cento em 2017, ante recorde de 1,64 milhão no ano anterior, segundo o relatório. Solicitações para Estados membros da UE caíram quase pela metade.

Nos Estados Unidos, os pedidos subiram 26 por cento, chegando a 330 mil.

(Reportagem de Richard Lough)