Sophie Charlotte e outros artistas contam bastidores dos especiais de Roberto Carlos: 'Perguntou do meu avô para me acalmar'

Danilo Perelló
·3 minuto de leitura

Com o passar do tempo, Roberto Carlos foi sabendo transformar sabendo transformar cada vez mais a vida de quem passava pelo seu palco e pelos especiais de fim de ano da Globo. Em 2010, a cantora Paula Fernandes foi seu feliz alvo, ao ser convidada para o especial de Natal da Globo daquele ano. No show que foi transmitido ao vivo da Praia de Copacabana, Roberto Carlos cantou um compilado de sucessos com ela e depois saiu do palco, para deixá-la encantar a plateia sozinha com o clássico sertanejo “Tocando em frente”, de Almir Sater.

— Depois daquilo, meu DVD vendeu mais de 2,5 milhões de cópias, vieram muitos prêmios e várias músicas tocando na rádio ao mesmo tempo. Minha voz já vinha sendo ouvida, como nas novelas “América” e “Paraíso”, mas naquele palco apareceu o meu rosto, fui apresentada ao Brasil, que abraçou aquela menina — recorda Paula.

Roberto também esbanja sensibilidade quando lida com os convidados. Quando a atriz Sophie Charlotte se preparava para entrar no palco do programa de 2014, o cantor sentiu que ela precisava de ajuda.

— Eu estava com a boca seca de tanto nervosismo. Foi a adrenalina mais forte que eu já experimentei nesta existência. Nem montanha russa, nem evento de qualquer nível se comparou àquela emoção. Até que o Roberto me perguntou algo sobre a minha história, sobre o meu avô. Isso me conectou absolutamente. Olhar pra ele transformou tudo em tranquilidade e harmonia. Foi o que me permitiu aproveitar o que estava acontecendo. Então posso dizer que consegui desfrutar de cada milésimo de segundo da companhia do Roberto naquele palco. Tenho a memória física, emocional e espiritual daquele momento. Pareciam instantes em suspenso de pura emoção — conta a atriz que cantou “Sua estupidez”, canção que havia interpretado também naquele ano na novela das 11 “O rebu”.

Quem também sente falta de aglomerar com o ídolo é Tiago Abravanel, que já participava havia quatro anos do projeto Emoções, nos tradicionais cruzeiros do cantor. A história deles começou quando Tiago interpretou Tim Maia no teatro.

— Roberto foi assistir e me chamou para ir a um show que faria na semana seguinte em São Paulo. Fui, me atrasei e fiquei desesperado, porque não ia conseguir chegar a tempo. Mas ele tinha dito à produção que, enquanto eu não chegasse, não começaria. Fiquei numa mesa bem lá na frentona, ele me jogou uma rosa e me homenageou. Pouco depois, chegou o convite para participar do especial de fim de ano e aí quase morri — exagera Tiago, que cantou “Não quero dinheiro” e “Negro gato”.

Os convidados do Rei são de todas as idades. A finalista da primeira temporada do “The voice kids”, em 2016, encantou a plateia e foi cantar no especial de Roberto.

— O maestro Eduardo Lages veio aqui em Curitiba para ensaiar comigo. Minha mãe perguntou quem eram os outros convidados. Ele respondeu: “Marisa Monte, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Zeca Pagodinho”. Eu achava que iria fazer uma apresentação com outras crianças do “The voice”, mas cantei três músicas com ele — recorda Rafa.

Aliás, o especial de Natal fez parte de mais da metade desses 80 anos comemorados pelo Rei, já que começou em 1974. E vem emocionando mesmo quem já é experiente, como Alexandre Nero, que acaba de retornar ao ar em “Império”.

— Eu soube, na época (2014), que o Roberto gostava da novela e que era fã do José Alfredo. Acho que a nossa conexão começou ali, quando cantamos “Mulher de 40” — diz o Comendador sobre o Rei de 80 .

Se há dúvida de que estar no palco com o Roberto transforma, a atriz Dira Paes confirma. Em 2009, quando fez sucesso como a Norminha de “Caminho das Índias”, ela cantou “Cama e mesa” no especial de fim de ano.

— Eu nunca vou esquecer que quando eu pisei no palco, eu falei : “Roberto, hoje é um dos dias mais felizes da minha vida”. E foi.

Por mais dias felizes assim para o Rei e seus súditos!