Soraya Thronicke posa com apoiadores de Lula na posse e é chamada de 'traíra' por Eduardo Bolsonaro

Um vídeo da senadora Soraya Thronicke (União Brasil) ao lado de apoiadores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante a cerimônia da posse, que ocorreu neste domingo, circula nas redes sociais e é alvo de críticas por parte dos bolsonaristas. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL) publicou um trecho nas redes sociais e chamou Thronicke de "traíra". Em 2018, a senadora se elegeu com o apoio do então candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PL).

No vídeo compartilhado, a ex-candidata à Presidência acenou aos petistas que estavam no Palácio do Planalto.

— Eu vou estar com vocês — disse.

Ainda na postagem, ao ser questionada pelos apoiadores de Lula sobre a eleição passada, a parlamentar afirma ter se arrependido do apoio:

— Eu volto atrás, assumo onde eu errei e onde eu estava iludida.

"Seu conceito de 'traíra' foi atualizado com sucesso", escreveu o filho do ex-presidente no Twitter em reação ao post. Bolsonaristas acompanharam o deputado e passaram a compartilhar imagens relembrando 2018, quando Thronicke utilizou o slogan "a senadora de Bolsonaro".

A senadora respondeu: "Feliz 2023 pra você também, Bananinha! Paz, saúde, felicidade e sucesso pra você e toda a sua família".

As críticas de bolsonaristas a Soraya Thronicke não datam de hoje. Durante o debate da Band, ela foi chamada de "traidora" por Flávio Bolsonaro. O filho do presidente postou uma foto da senadora ao lado de Bolsonaro e acrescentou que "a história já mostrou como o eleitor trata os traidores". Ela, por sua vez, respondeu lembrando da discussão que tiveram. "Fui sim, eleita com Bolsonaro, acreditando nas bandeiras do combate à corrupção. Logo após, me decepcionei por completo, começando por você, que me ligou aos berros exigindo a retirada da minha assinatura na CPI da Lava Toga. Jamais me curvarei a vocês, TRAIDORES DA PÁTRIA!."

No segundo turno disputado por Lula e Bolsonaro, Soraya Thronicke não ficou ao lado de nenhum dos presidenciáveis e, por isso, foi novamente alvo de críticas. Na ocasião, ela afirmou que não iria comparecer às urnas por 'convicção'. A assessoria informou, à época, que estava viajando na data, fora do Mato Grosso do Sul, estado onde vota.

"Nenhum desses bandidos merece o meu apoio. A semeadura é facultativa, a colheita é obrigatória. Boa sorte, Brasil", disse nas redes sociais.

Além de Eduardo Bolsonaro, a senadora também tem trocado farpas nas redes com o ex-juiz federal e futuro colega de bancada, Sergio Moro. Na última terça-feira, a ex-candidata à Presidência respondeu um tuíte em que o opositor de Lula o criticava por não ter falado sobre corrupção durante o seu discurso na posse presidencial. Thronicke rebateu e afirmou que o tema não é debatido "há quatro anos", período em que Bolsonaro esteve no poder.

"Não quero atrapalhar a festa, mas, em algum momento, vocês ouviram Lula falar em combater a corrupção nos seus discursos de ontem?", escreveu Moro nesta segunda-feira.

"Há quatro anos não se fala em combate à corrupção!", respondeu a senadora.