Sorteio de pênaltis polêmico: "Não queria o lado azul"

Estudiantes e Argentinos Juniors empataram no tempo normal e vaga foi decidida nos pênaltis. Foto: Gustavo Garello/Jam Media/Getty Images
Estudiantes e Argentinos Juniors empataram no tempo normal e vaga foi decidida nos pênaltis. Foto: Gustavo Garello/Jam Media/Getty Images

A noite da última quarta-feira (11) foi de eliminação de dois grandes clubes na Copa da Liga argentina. No Monumental de Núñez o River Plate caiu diante do Tigre, e o Estudiantes não conseguiu se aproveitar do mando de campo e acabou eliminado pelo Argentinos Juniors.

Neste jogo, o árbitro Fernando Echenique virou protagonista em um momento com os capitães dos dois times. O jogo terminou empatado em 1 a 1 e a classificação teve que ser decidida nas cobranças de pênaltis.

Leia também:

Foi ai que o juiz apareceu. Na hora de sortear a quem iniciaria as cobranças de pênaltis no duelo das quartas de final a moeda foi lançada para o alto e a confusão começou.

"Eles chutam? Por quê? Você escolheu, eu não queria azul. Não, não, não... faça de novo", protestou o goleiro e capitão do Estudiantes, Mariano Andújar, alegando que a escolha das cores (azul ou verde) havia sido feita pelo apitador sem que ele tivesse concordado.

A situação, que viralizou em vídeos nas redes sociais, terminou com o Argentinos Juniors convertendo o primeiro e vencendo os pênaltis após grande defesa de Franco Zapiola no quinto e decisivo pênalti.

No final o placar apontou 4 a 3 para os visitantes e muita reclamação dos donos da casa, que tiveram o motivo mais inusitado para reclamar de um árbitro em uma disputa de pênaltis.

As semifinais que serão realizadas nesse final de semana colocarão frente a frente Boca Juniors e Racing, além de Tigre e Argentinos Juniors, jogando em busca da vaga na decisão que está marcada para o dia 22.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos