'Sou dona do meu sexo, e isso não quer dizer que não seja boa mãe e boa filha', diz Juliana Martins

O Globo
·1 minuto de leitura
Leo Aversa
Leo Aversa

Com a voz doce que conhecemos desde 1995, quando foi a primeira protagonista de “Malhação”, Juliana Martins fala sobre o seu primeiro monólogo adulto, “O prazer é todo nosso”, com direção de Bel Kutner. “Passei 19 anos casada. Aos 39, solteira, comecei a ficar com um monte de gente e conheci uma diversidade de paus, de pegadas”, diz. Suas experiências sexuais e a de amigas são narradas na história, que terá a primeira leitura dia 18, no Festival de Tiradentes, com transmissão pelo YouTube. “Sou dona do meu sexo, e isso não quer dizer que eu não pague minhas contas, que eu não faça a linha romântica ou que eu não seja boa filha ou boa mãe”, afirma.

Luisa, a filha de Juliana, por sinal, foi a primeira a ler o texto da peça. "Ela achou absolutamente normal. Os jovens de hoje são mais livres, né?", observa.

Atualmente, a atriz de 46 anos está solteira. "Tenho um amigo colorido, que foi a salvação da quarentena. A relação é leve e divertida. Mas sou naturalmente casamenteira. Nesses últimos sete anos, conheci muita gente, sim, mas passei quatro namorando. Acho que por isso rola essa dicotomia e as pessoas ainda se surpreendem quando falo de pau grosso, pau fino, gozada e chupada".