"Não sou um isolacionista, sou um comerciante justo", afirma Trump

Washington, 17 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou nesta sexta-feira ser um político "isolacionista" e disse que, pelo contrário, é um "comerciante, mas um comerciante justo", após ser questionado por suas medidas em matéria de comércio exterior.

Em entrevista coletiva junto à chanceler da Alemanha, Angela Merkel, Trump rejeitou essa qualificação ao ser perguntado pela imprensa e insistiu que suas posturas respondem à necessidade de que os Estados Unidos deixem de ser tratados de "maneira injusta" no cenário internacional.

"Em primeiro lugar, não acredito em uma política isolacionista", começou respondendo à dura pergunta de uma jornalista alemã, que questionou suas medidas comerciais para colocar os "Estados Unidos primeiro" e por sua insistência em dizer que os jornalistas mentem.

"Não sou um isolacionista de maneira alguma", continuou o presidente. "Não sei que jornal você está lendo, mas suponho que seja outro exemplo de, como você disse, 'notícias falsas'", espetou o presidente.

No entanto, Trump evitou se aprofundar no assunto e voltou ao caso comercial.

"Acho que uma política comercial deve ser uma política justa, e Estados Unidos receberam um tratamento muito, muito injusto ao longo dos anos e isso vai acabar. Mas não sou um isolacionista, sou um comerciante livre, um comerciante justo. Nosso livre-comércio nos levou a muitas coisas ruins", afirmou Trump, que, em seguida, cometeu uma pequena gafe.

"Somos uma empresa, um país - se corrigiu - muito forte, e em breve estaremos em um nível no qual provavelmente não estivemos antes". EFE