SP aplicará multa de R$100 mil e pode usar força para liberar vias, diz governador

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), disse nesta terça-feira que serão aplicadas multas de 100 mil reais por hora para veículos que estiverem obstruindo as vias do Estado, e que, se necessário, será utilizado o uso da força.

Manifestantes favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (PL) vêm bloqueando parcialmente ou totalmente rodovias ao redor do país desde domingo à noite em movimento contrário ao resultado das eleições presidenciais, nas quais Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito.

Garcia, que foi um dos primeiros a declarar apoio ao presidente Jair Bolsonaro após o primeiro turno, disse que as forças do Estado procuraram dialogar e negociar com os manifestantes desde segunda-feira para que as estradas e vias fossem desobstruídas. Porém, ele afirmou que a partir desta manhã essas negociações encerraram e a determinação judicial do Supremo Tribunal Federal (STF) começou a ser aplicada.

Na noite de segunda-feira, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou que forças policiais tomassem todas as medidas necessárias para desobstruir rodovias bloqueadas por protestos de simpatizantes de Bolsonaro e que foram iniciados por caminhoneiros. Moraes também intimou autoridades para que tomem providências para o fim das manifestações que questionam o resultado das eleições. A decisão já tem apoio da maioria da corte em votação em plenário virtual.

Garcia disse a jornalistas que a tropa de choque e forças especiais podem ser utilizadas para desobstrução das vias, mas que espera não ser necessário. O governador anunciou a liberação de via que conecta a cidade de São Paulo ao aeroporto internacional de Guarulhos, o maior do Brasil.

A GRU Airport, concessionária que administra o aeroporto, falou em 25 voos cancelados entre a véspera e esta terça-feira, segundo posicionamento divulgado nesta manhã.

"As eleições acabaram, nós vivemos num país democrático, São Paulo respeita o resultado das urnas e nenhuma manifestação vai fazer com que a democracia do Brasil retroceda", disse ele. Garcia acrescentou que espera liberação de todas as vias do Estado ainda nesta terça-feira.

Vias importantes da capital paulistas, como a Marginal Tietê, e rodovias do Estado incluindo Raposo Tavares e Castello Branco registravam manifestações, segundo ele.

Ao lado do governador no Palácio dos Bandeirantes, Mario Luiz Sarrubbo, procurador-geral de Justiça do Estado, disse que "na visão do Ministério Público, trata-se de uma organização criminosa atentando contra o Estado democrático de direito no Brasil", e que pessoas serão levadas a responder civil e criminalmente por crimes como contra a segurança nacional.

(Reportagem adicional de Gabriel Araujo)