SP derruba obrigatoriedade do uso de máscara em ônibus, trem e metrô

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo paulista e a Prefeitura de São Paulo anunciaram nesta quinta (8) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em ônibus, metrô e trem. A nova regra passa a valer a partir desta sexta (9).

A medida será publicada no Diário Oficial do Estado e do Município. Apesar da liberação no transporte público, a gestão afirma que uso ainda é recomendado, principalmente, para os grupos vulneráveis, como pessoas acima de 60 anos e imunossuprimidas.

A obrigação do uso de máscara foi determinada em 29 de abril de 2020, no início da pandemia de Covid.

A flexibilização em São Paulo ocorre após o conselho apontar altas taxas de cobertura vacinal, expressiva quedas nas internações por Covid e uma taxa de mortes por milhão de habitantes menor do que em países em desenvolvimento.

O estado de São Paulo diz que, em comparação com o início deste ano, houve 90% de queda das internações por Covid-19. No início de fevereiro, o número de pacientes internados era 4.091. Hoje, são 363 pacientes. Já a média móvel de mortes era de 288 em 9 de fevereiro e agora, no estado de São Paulo, está em 27.

Nesta quarta-feira, o Brasil registrou 39 mortes por Covid e 6.934 casos da doença. Com isso, o país chegou a 684.685 vidas perdidas e a 34.545.816 pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia.

A média móvel de mortes agora é de 94 por dia, redução de 37,74% em relação ao dado de duas semanas atrás. Já a média móvel de casos é de 10.448, o que indica queda de 31,46% se comparado com o mesmo período.

Ao todo, até terça-feira, 180.856.246 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil. Somadas as doses únicas da vacina da Janssen, já são 170.220.345 pessoas com as duas doses ou com uma dose da vacina da Janssen.

Assim, o país já tem 84,19% da população com a 1ª dose e 79,24% dos brasileiros com as duas doses ou uma dose da vacina da Janssen. Até o momento, 102.870.101 pessoas já tomaram a terceira dose, e 28.582.051 a quarta.