SP é o primeiro estado a chegar a 90% dos adultos vacinados contra a covid-19

·1 min de leitura
Pregnant women show their vaccination card before receiving a dose of Pfizer/BioNTech coronavirus disease (COVID-19) vaccine in Sao Paulo, Brazil June 7, 2021. REUTERS/Carla Carniel
Pregnant women show their vaccination card before receiving a dose of Pfizer/BioNTech coronavirus disease (COVID-19) vaccine in Sao Paulo, Brazil June 7, 2021. REUTERS/Carla Carniel
  • SP atingiu a marca de 90% da população adulta vacinada com as duas doses contra a covid-19

  • Estado é o primeiro no Brasil a chegar ao nível de vacinação

  • Na última semana, 86% das cidades paulistas não registraram mortes por covid-19

O estado de São Paulo é o primeiro a alcançar a marca de 90% da população adulta totalmente vacinada contra a covid-19. Em relação à população total, o índice é de 71%. O índice é proporcionalmente maior que o de diversos países, como Reino Unido, Israel, Alemanha, Argentina e Estados Unidos.

No total, 32,7 milhões de pessoas estão com o esquema vacinal completo no estado. A população a partir dos 40 anos já passou dos 90%, com pelo menos 95% da população totalmente imunizada. 

Como consequências, na última semana, 86% das cidades paulistas não registraram nenhuma morte por covid. Os números foram anunciados pelo governador João Doria (PSDB), nesta quarta-feira (10). O tucano também reforçou a marca da última segunda-feira (8), quando São Paulo não registrou óbitos pela doença. 

"São Paulo comprou mais vacinas, São Paulo acreditou nas vacinas", disse o governador. Sem citar o presidente Jair Bolsonaro, Doria afirmou que o estado se preocupou, ao mesmo tempo com as vidas e com a economia - uma referência às críticas de Bolsonaro à suposta política de "a economia a gente vê depois". 

Regiane de Paula, coordenadora do Plano Estadual de Imunização, chamou atenção para o número de pessoas com a segunda dose atrasada no estado: são cerca de 5 milhões de pessoas. Em São Paulo, pessoas que tomaram a CoronaVac podem procurar um posto de saúde para tomar a segunda dose depois de duas semanas. Para Pfizer, o intervalo é de 21 dias, enquanto para AstraZeneca é preciso esperar 8 semanas entre as doses. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos