SP iniciará aplicação de 3ª dose contra Covid para maiores de 60 anos em 6 de setembro

·2 minuto de leitura
Norma Amuso, de 90 anos, recebe dose da vacina contra a Covid-19 no estádio do Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O governo do Estado de São Paulo começará a aplicar uma terceira dose de vacina contra Covid-19 em pessoas com mais de 60 anos em 6 de setembro, anunciou nesta quarta-feira o governador João Doria (PSDB) em entrevista coletiva.

O anúncio foi feito pouco depois de o Ministério da Saúde anunciar, também nesta quarta, que a aplicação da terceira dose de reforço contra a Covid-19 começará em âmbito nacional na segunda quinzena de setembro para imunossuprimidos e pessoas com mais de 70 anos.

"Desde a semana passada o comitê científico vem discutindo com a área da saúde do governo do Estado de São Paulo e também com o comitê do PEI, Programa Estadual de Imunização, a proteção das pessoas com mais idade, das pessoas com mais de 60 anos, e essa decisão foi finalizada hoje pela manhã", disse Doria.

Também presente na coletiva, o coordenador do comitê científico que assessora o governo do Estado, Paulo Menezes, disse que os indicadores da pandemia em São Paulo continuam em queda, mas a preocupação com a variante Delta do coronavírus, que tem se mostrado mais transmissível, levou à recomendação, acatada por Doria, de aplicação da terceira dose nos idosos.

"O que observamos em outros países é que, mesmo com boas coberturas vacinais, a variante Delta se espalhou, se tornou dominante e, portanto, nesse momento entendemos que é um passo a mais na segurança e proteção da população mais vulnerável essa possibilidade de ter a terceira dose ou a dose adicional", afirmou.

Coordenador executivo do comitê científico, João Gabbardo, disse que, para aplicação da terceira dose, será usada qualquer uma das vacinas disponíveis, ao contrário da orientação do Ministério da Saúde, que prevê o uso do imunizante da Pfizer, preferencialmente, para a terceira dose, ou então das vacinas da AstraZeneca ou da Janssen.

A pasta federal não citou a CoronaVac, vacina do laboratório chinês Sinovac, que é envasada no Brasil pelo Instituto Butantan, vinculado ao governo paulista.

Gabbardo disse ainda que os imunossuprimidos também deverão receber a terceira dose, mas isso ainda será alvo de discussão, e que a aplicação da dose adicional entre os maiores de 60 anos ocorrerá de forma escalonada de acordo com a faixa etária, da mais alta até a mais baixa, e somente para os que tomaram a segunda dose ou a vacina de dose única há seis meses.

O calendário de aplicação da terceira dose no Estado ainda será definido de acordo com a disponibilidade de vacinas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos