SP: Número de profissionais de saúde afastados por covid triplica em um mês

·2 min de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JUNE 18:  Medical staff members transport a patient on a stretcher at Municipal Hospital of Parelheiros on June 18, 2021 in Sao Paulo, Brazil. According to official figures released by the Health Minister, the death toll in Brazil is approaching half a million victims. President Jair Bolsonaro faces a probe as the country undergoes the second-deadliest COVID-19 outbreak outside of the United States. Protests are being held against the Copa America, which is being played in four Brazilian cities amid a surge in cases and deaths.  (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)
Equipe médica trabalha em hospital de Parelheiros, na zona sul de São Paulo (Getty Images)
  • Número de profissionais de saúde pública de São Paulo infectados pela covid-19 triplicou em um mês

  • Em 9 de dezembro a cidade tinha 90 profissionais afastados em razão do coronavírus

  • Em 6 de janeiro, já eram 269 registros, um crescimento de 198,8%

O número de profissionais de saúde da rede pública de São Paulo infectados pela covid-19 quase triplicou em menos de um mês. Segundo dados da prefeitura divulgados pelo portal G1, em 9 de dezembro a cidade tinha 90 profissionais afastados em razão do coronavírus – entre médicos, enfermeiros, agentes de saúde e auxiliares de enfermagem. Em 6 de janeiro, já eram 269 registros, um crescimento de 198,8%.

No mesmo período de comparação, os registros de profissionais da rede pública afastados por outras síndromes gripais, como influenza, saltaram de 502 para 1.209, aumento de 140,8%.

Considerando todas as causas de afastamento, a capital paulista tinha, até 6 de janeiro, 1.585 profissionais de saúde da rede pública longe das suas atividades. Além disso, 107 dos profissionais de saúde da capital morreram desde o início da pandemia.

Desde dezembro do ano passado, a Secretaria Municipal de Saúde decidiu ampliar os atendimentos na rede primária, principalmente nas Unidades Básicas de Saúde, como vacinação contra a Influenza, testagem em massa para gripe e covid e abertura das UBS aos sábados.

Em nota ao portal G1, a Secretaria Municipal da Saúde afirmou "que, desde dezembro, a rede municipal de saúde passou por um crescimento na demanda espontânea de sintomáticos respiratórios em função do vírus influenza e da variante ômicron da covid-19, o que pressionou a rede básica municipal. Diante disso, a pasta ampliou o atendimento para que as 469 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) auxiliem no atendimento a esses casos, que tendem a ser mais leves, sem conversão em internação hospitalar."

Ainda segundo a nota, a Prefeitura diz que "vem empreendendo junto aos seus parceiros todos os esforços para oferecer a cobertura necessária e a partir da próxima semana a rede contará com um plantonista a mais nas portas de urgência e emergência hospitalares, além de incremento de profissionais nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com processo de contratação em andamento".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos