SP registra aumento de casos de ataques contra pessoas LGBTQIA+

Estado de SP tem aumento no registro de agressões contra pessoas LGBTQIA+. Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images.
Estado de SP tem aumento no registro de agressões contra pessoas LGBTQIA+. Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images.
  • Entre 2021 e 2022 crescimento foi de 16,6%

  • Dados contrariam tendência de queda que se observava desde 2016

  • Capital de SP tem piores números

O primeiro semestre de 2022 registrou um aumento nos casos de lesão corporal contra pessoas LGBTQIA+ no estado de São Paulo, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram obtidos pela emissora CNN a partir da Lei de Acesso à Informação (LAI).

A emissora comparou dados de boletins de ocorrência do primeiro trimestre de cada ano desde 2016. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, no primeiro trimestre de 2022 foram registrados 35 casos de lesão corporal contra pessoas LGBTQIA+. Casos que não foram denunciados à Polícia Civil não foram contabilizados.

Entre janeiro e março de 2021, foram registradas 30 agressões motivadas por homofobia e/ou transfobia. Ou seja, um aumento de 16,6%, o que não condiz com a tendência de queda que se observava desde 2016.

A cidade com maior número de ocorrências é São Paulo, como sete. Em seguida está Santo André, com cinco, seguido por Jundiaí, com três.

Número de boletins de ocorrência registrados por lesão corporal motivados por homofobia/transfobia no primeiro trimestre do ano, no estado de SP:

  • 2022: 35

  • 2021: 30

  • 2020: 42

  • 2019: 42

  • 2018: 50

  • 2017: 62

  • 2016: 68

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos