SP supera as 1.200 mortes por Covid em um dia e bate mais um recorde

·5 minuto de leitura
Unconscious and intubated Covid-19 patients are treated in Vila Penteado Hospital's ICU, in the Brasilandia neighborhood of Sao Paulo, on June 21, 2020. According ta a study published in June 21st, Brazil's public hospitals, like Vila Penteado, had almost 40% death rates from the new coronavirus, the double from private hospitals. Brasilandia is one of the neighborhhods in Sao Paulo with highest number of deaths from Covid-19 (Photo by Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)
Há uma semana, na terça-feira (23), o número de mortes registradas em 24 horas foi de 1.021. Com as novas mortes, agora, apenas o estado de São Paulo totaliza 73.462 vítimas do coronavírus. (Foto: Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)
  • Estado de São Paulo registrou 1.209 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, um novo recorde

  • É a primeira vez que o estado tem mais de 1.200 mortes em um dia desde o início da pandemia

  • Taxa de ocupação de UTI diminuiu, mas ainda segue acima dos 90%

O estado de São Paulo registrou 1.209 novas mortes em decorrência da Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde. O recorde anterior de óbitos aconteceu da última quinta-feira (25) para sexta (26), com 1.193 pessoas mortas. É a primeira vez que o estado tem mais de 1.200 mortes em um dia desde o início da pandemia.

Há uma semana, na terça-feira (23), o número de mortes registradas em 24 horas foi de 1.021. Com as novas mortes, agora, apenas o estado de São Paulo totaliza 73.462 vítimas do coronavírus.

Leia também:

No total, o número de infectados é de 2.446.680, sendo que 21.360 foram novos registros nas últimas 24 horas. Os novos registros não significam, necessariamente, que as mortes aconteceram de um dia para o outro, mas que foram computadas no sistema neste período.

O recorde acontece após um fim de semana atípico em São Paulo desde fevereiro. Pela primeira vez em mais de um mês, o estado registrou uma baixa no número de pacientes internados em UTIs por Covid-19.

No sábado (27), 12.983 pacientes estavam em leitos intensivos. No domingo (28) o número caiu para 12.911. Na segunda (29), houve nova aumento de internações, passando para 12.946, de acordo com a Folha de S. Paulo.

Taxa de ocupação de UTI em 92%

De acordo com dados do governo estadual, do último domingo, há ainda 31.216 internados, sendo 12.911 pacientes em leitos de UTI e 18.305 em enfermaria. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 92% no Estado e de 91,3% na Grande São Paulo.

No final de maio do ano passado, o momento que era considerado o mais grade da pandemia, a taxa ficou em 77,2%. Além disso, de acordo com o G1, 25 hospitais estaduais estão com lotação máxima.

Veja os hospitais estaduais de SP com 100% de ocupação em leitos de UTI nesta segunda (29):

  • Hospital Geral De Carapicuíba

  • Hospital Regional De Cotia

  • Hospital Regional De Ferraz De Vasconcelos

  • Hospital Estadual De Francisco Morato

  • Complexo Hospitalar Padre Bento De Guarulhos

  • Hospital Geral De Guarulhos

  • Hospital Geral De Itapecerica Da Serra

  • Hospital Geral De Itapevi

  • Hospital Geral De Itaquaquecetuba

  • Instituto De Infectologia Emilio Ribas

  • Hospital Geral De Pedreira

  • Hospital Estadual Vila Alpina

  • Hospital Ipiranga

  • Hospital Geral De Guaianases

  • Instituto Dante Pazzanese De Cardiologia

  • Hospital Estadual De Sapopemba

  • Hospital Geral De Vila Nova Cachoeirinha

  • Hospital Geral De Pirajussara

  • Hospital Estadual Bauru

  • Hospital Das Clinicas De Botucatu

  • Hospital Estadual Sumaré

  • Hospital Regional De Assis

  • Hospital Regional De Piracicaba

  • Conjunto Hospitalar De Sorocaba

  • Hospital Regional De Sorocaba

São Paulo prorroga fase emergencial

A fase emergencial do Plano São Paulo foi prorrogada até o dia 11 de abril, com a manutenção das restrições mais rígidas visando garantir a assistência a vida e conter a sobrecarga em hospitais de todo o Estado, além de frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus. A medida começou último no dia 15.

Feriado na capital paulista

A cidade de São Paulo anunciou em 18 de março que seriam antecipados cinco feriados no município para tentar conter os avanços da covid-19. O objetivo é reduzir a circulação de pessoas e, assim, frear o número de internações e mortes pela doença. Portanto, os dias 31 de março e 1º de abril serão feriado — o feriado começou no dia 29. 

People enjoy a very sunny day on the coast of São Paulo, Brazil on Sept. 27, 2020. The Baixada Santista beaches with good movement of visitors in full quarantine. Bathers flock to the sand, without social detachment and protective masks. The recommendation of the Public Authorities is for the population to avoid going down to the coast and keep the quarantine at home following social isolation due to the Covid-19 pandemic. Photos of the beach in the city of Itanhaém, south coast of the state of São Paulo. (Photo: Antonio Molina/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, chegou a pedir para que a população do estado não use o feriado para viajar, mas para ficar em casa (Foto: Antonio Molina/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, chegou a pedir para que a população do estado não use o feriado para viajar, mas para ficar em casa. "Queremos reforçar que, durante os feriados, as blitz continuarão", afirmou o vice-governador. O governo estadual vai apoiar cidades litorâneas e ajudar com barreiras sanitárias.

Mesmo assim, em meio ao feriado prolongado decretado para conter os casos de Covid-19, a cidade de São Paulo registrou na noite do último sábado (27) mais de 350 pontos de aglomeração. Esses locais, informa o governo estadual, receberam equipes da vigilância sanitária que dispersaram o público.

Além desses 352 pontos, foram vistoriados 196 estabelecimentos. Por descumprimento das regras da fase emergencial, que vigora em todo o estado, 26 deles terminaram autuados.

O que pode e o que não pode na fase emergencial

  • Cultos religiosos suspensos

  • Restaurantes não podem mais oferecer retirada de comida

  • Drive-thrus e serviços de delivery de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais poderão funcionar 24 horas por dia

Na fase emergencial, não poderão haver atividades esportivas, lojas de material de construção ficam fechadas, assim como os serviços de retirada de todos os setores.

Os cultos religiosos também estão suspensos, mas as igrejas continuam abertas para aqueles que quiserem rezar de forma individual.

Drive-thrus e serviços de delivery de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais podem funcionar 24 horas por dia.

Há ainda um toque de recolher entre 20h e 5h. Não será permitido circular durante o período, a não ser que seja estritamente necessário.

Aglomerações estão proibidas e as máscaras são obrigatórias em ambientes internos e externos. Durante o período, paulistanos não poderão frequentar praias e parques.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos