SP vacinará operadores do metrô e da CPTM a partir de 11 de maio

THIAGO AMÂNCIO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Trabalhadores do Metrô e da CPTM (trens urbanos) serão vacinados contra a Covid-19 em São Paulo a partir do próximo dia 11 de maio. Serão vacinadas ao todo 9.500 pessoas, incluindo todos os operadores de trens, independentemente da idade, e demais funcionários da operação, que lidam diretamente com o público, acima dos 47 anos. Entram aí também os trabalhadores da operação das linhas 4-amarela e 5-lilás, que são privatizadas. Os funcionários administrativos não entram na prioridade agora. Também não foram incluídos os trabalhadores do sistema de ônibus. A informação foi enviada pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos da gestão João Doria (PSDB) por email aos trabalhadores do Metrô na tarde deste sábado (17). Isso deve esfriar os ânimos da categoria, que convocou greve em conjunto para a próxima terça-feira (20). Conforme a Folha mostrou, o início da vacinação contra a Covid-19 de policiais e professores em São Paulo fez crescer a pressão para incluir o setor de transportes no grupo prioritário. Metrôs, ônibus e trens em São Paulo não pararam um único dia. Relatório da administração do Metrô divulgado na última semana mostra que embora a pandemia tenha tirado passageiros nos primeiros meses da chegada do vírus ao Brasil, foram feitas quase 3 bilhões de viagens nos transportes públicos que passam pela capital, entre metrô (764 milhões), CPTM (505 milhões) e ônibus municipais (1,6 bilhão). Lidando com esse público estão motoristas, cobradores, ferroviários e metroviários, que acumulam contaminações e mortes pela doença. O Metrô já soma 22 mortes entre seus funcionários, além de cerca de 1.500 contaminados, segundo contagem do sindicato dos Metroviários, que convocou uma "greve sanitária" para a próxima terça-feira (20). Na última terça-feira (13), foi a vez dos trabalhadores da CPTM, companhia de trens urbanos, chamar greve para os dias 20 e 27. Além de uma demanda por participação nos lucros, os trabalhadores pedem também a vacinação da categoria. Segundo estimativa do sindicato, já são quase 50 mortes entre os ferroviários. A situação também é grave entre os trabalhadores dos ônibus municipais, e o Sindmotoristas, que representa condutores, cobradores e outros funcionários do sistema, também convocou greve para o dia 20. Até o começo de abril, o sindicato somava 1.373 casos confirmados e 131 mortes registradas.