SP vai contratar 20 mil pais de alunos para trabalharem em escolas estaduais

CLAYTON FREITAS
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador João Dória (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (7) a contratação de 20 mil pais e mães de alunos da rede estadual de ensino para atuarem no retorno às aulas. A proposta é que cada um receba R$ 500 por até quatro horas de trabalho diárias. "Estamos acompanhando o crescimento acelerado da pobreza, da miséria, da vulnerabilidade em São Paulo e no Brasil. Um governo responsável segue dando atenção à saúde e à vida, mas também pelo alimento e proteção social", disse o governador. O anúncio foi feito durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (7) para falar das medidas do estado no enfrentamento ao novo coronavírus. Os detalhes de como será a escolha, o processo seletivo e o prazo de contratação não foram divulgados. A responsabilidade pelo programa será da Secretaria Estadual de Educação, porém, o responsável pela pasta, Rossieli Soares, não estava entre os secretários presentes na coletiva à imprensa. Essa não é a primeira vez que os responsáveis pelos alunos são recrutados para atuar nas escolas. No dia 15 de fevereiro, a reportagem revelou que o prefeito Bruno Covas (PSDB) iria contratar até 5.000 mães de alunos para atuar como agentes de protocolo contra a Covid-19. O diferencial do programa do estado é a inclusão também dos pais. R$ 1 bilhão Essa força de trabalho integrará o Bolsa do Povo, que unifica as transferências de renda espalhadas em diversas secretarias estaduais. A ação se assemelha à criação do Bolsa Família, que, por meio de uma medida provisória do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, unificou e ampliou os programas de seus antecessores. No caso de Dória, o Bolsa do Povo irá reajustar os valores de programas tais como o Ação Jovem (Educação) e Renda Cidadã (Assistência Social), que passarão dos atuais R$ 80 para R$ 100. Os outros programas que serão reunidos no Bolsa Família são: trabalho, aluguel social, talento esportivo e via rápida. Na apresentação do programa, o vice-governador Rodrigo Garcia, que também é secretário de governo e ficará à frente do programa, afirmou que serão investidos só neste ano R$ 1 bilhão no Bolsa do Povo.