Space X demite funcionários que reclamaram de Elon Musk em carta

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A SpaceX demitiu “vários funcionários” responsáveis ​​por uma carta aberta criticando o comportamento do CEO Elon Musk, de acordo com um memorando interno, um confronto incomum sugerindo uma crescente discórdia sobre os comentários controversos do bilionário.

A carta aberta classificou o comportamento e os tweets de Musk de “uma fonte frequente de distração e constrangimento para nós, principalmente nas últimas semanas”. O documento, que começou a circular entre os funcionários nos últimos dias, pedia à liderança da SpaceX que condenasse e se distanciasse da “marca pessoal” de Musk.

A presidente da SpaceX, Gwynne Shotwell, disse no memorando, ao qual a Bloomberg teve acesso, que a empresa investigou a carta aberta e demitiu os funcionários envolvidos.

A situação “fez os funcionários se sentirem desconfortáveis, intimidados e intimidados e/ou irritados porque a carta os pressionou a assinar algo que não refletia seus pontos de vista”, disse Shotwell no e-mail. “Temos muito trabalho crítico a realizar e não há necessidade desse tipo de ativismo exagerado”.

A SpaceX não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. As demissões foram relatadas anteriormente pelo New York Times. Um relatório separado da Reuters disse que pelo menos cinco trabalhadores foram demitidos.

A reviravolta é incomum para a empresa de lançamento de foguetes e comunicações por satélite, em que Musk mantém um forte controle desde a sua fundação, há duas décadas. A Space Exploration Technologies , que tem cerca de 12.000 funcionários, atende clientes privados e agências governamentais, incluindo a NASA.

Musk, também CEO da fabricante de veículos elétricos Tesla, regularmente gera controvérsia, seja por suas posições sobre tópicos abertamente políticos, tuítes grosseiros ou referências à cultura das drogas.

No mês passado, o Insider informou que a SpaceX pagou US$ 250 mil a uma funcionária para resolver uma demanda de assédio sexual em 2016. Ele rebateu as alegações, chamando-as de "totalmente falsas".

Musk também está em um processo contencioso para adquirir o Twitter por US$ 44 bilhões. Ele se reuniu com funcionários na quinta-feira pela primeira vez, onde disse que as pessoas deveriam poder dizer “coisas muito ultrajantes” na plataforma de mídia social.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos