‘Spider’: aranha gigantesca de Louise Bourgeois chega ao MAR

Bruno Calixto

Tem uma aranha gigante circulando pelo país. Depois de passar por Inhotim (em Minas Gerais), Fundação Iberê Camargo (Rio Grande do Sul) e Museu Oscar Niemeyer (Paraná), a escultura “Spider”, da artista franco-americana Louise Bourgeois (1911-2010), chega neste sábado (30), ao Museu de Arte do Rio, na Praça Mauá. Com 3,5metros de altura e pesando 700gk, a obra é parte da coleção do Instituto Itaú Cultural, em São Paulo, e é primeira de uma série de seis aranhas em bronze produzidas pela artista a partir de 1996.

— “Spider” é um símbolo de temas relativos à sua vida pessoal e também uma reflexão sobre maternidade e feminilidade. Louise dizia que as aranhas representam o instinto protetor e materno — ressalta Sofia Fan, gerente do Núcleo de Artes Visuais do Itaú Cultural. — É uma peça imponente, que exige grande cuidado no seu manuseio e na montagem.

Esta não é a primeira vez de “Spider” no Rio. Ela andou por aqui no fim dos anos 1990, durante uma mostra no CCBB. Em 2011, a cidade recebeu sua “irmã mais nova”, a mais famosa delas. Com quase dez metros de altura, “Maman” (1999) foi exposta nos jardins do Museu de Arte Moderna.

A produção desenhou uma plataforma que é colocada debaixo dela para sustentá-la. As patas, cujas pontas são de agulha, são retiradas uma a uma enquanto uma espécie de berço se eleva da plataforma para segurar o corpo do pesado aracnídeo.

— Cada pata precisa estar encaixada em uma parte do suporte, que, por sua vez, tem de ser fixada no chão — explica.

Junto com a aranha gigante, um texto do crítico de arte Paulo Herkenhoff e um vídeo.

“Spider” ficará no primeiro andar do MAR a partir das 16h, e, neste primeiro dia, a visitação ao museu será gratuita. Além disso, haverá show da banda Pietá, às 18h, e discotecagem com DJ Tamy.

Museu de Arte do Rio (MAR): Praça Mauá 5, Centro — 3031-2741. Ter a dom e feriados, das 10h às 17h. Grátis (ter) e R 20. Bilhete único para o MAR e o Museu do Amanhã: R$ 16 (cariocas e moradores do Rio) e R$ 32.