Spotify aplicativo e planeja lançar sua versão do Clubhouse

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
The Spotify logo is displayed on a screen on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) in New York, U.S., May 3, 2018. REUTERS/Brendan McDermid
The Spotify logo is displayed on a screen on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) in New York, U.S., May 3, 2018. REUTERS/Brendan McDermid
  • Valor da aquisição não foi divulgado

  • Ideia é bater de frente com Clubhouse e plataformas como Discord

  • Atualmente, Locker Room é focado em conversas com fãs de esportes

O serviço de streaming de música Spotify anunciou nesta terça-feira (30) que comprou a desenvolvedora de aplicativos Betty Labs. A companhia é criadora do Locker Room, concorrente da rede social por voz Clubhouse

Com essa aquisição, a ideia do Spotify é tornar podcasts mais interativos com salas de áudio ao vivo e criar uma função de salas de conversas no aplicativo de streaming, basicamente como o Clubhouse. Os valores do negócio não foram divulgados. 

Ao The Verge, Gustav Söderström, responsável de desenvolvimento do Spotify, disse que o objetivo da empresa é criar um serviço não apenas de salas, mas que também permita conversas online por audio, competindo não só com o Clubhouse, mas também com plataformas como o Discord e Skype. 

Atualmente, o Spotify é o aplicativo de música mais utilizado em todo o mundo. Sendo uma plataforma do Spotify, Söderström diz que o objetivo é que passe a haver conexão entre os dois aplicativos. Assim, as conversas deste novo serviço podem ficar disponíveis na app principal do Spotify como se fossem um podcast.

O Locker Room é focado em conversas com fãs de esportes, mas os novos donos disseram que nos próximos meses ele irá se "expandir e evoluir".

"Criadores e fãs têm pedido formatos ao vivo no Spotify, e estamos entusiasmados que em breve os disponibilizaremos para centenas de milhões de ouvintes e milhões de criadores em nossa plataforma", completou Gustav.

Clones

Com o sucesso do Clubhouse no começo deste ano, diversas plataformas estão se mobilizando para não perder espaço para a novidade. O Instagram, por exemplo, agora permite que transmissões ao vivo tenham quatro pessoas. 

O Twitter também se mexeu e disponibilizou no início de março o recurso de áudio "Spaces" para pessoas que usam Android. O "Spaces" é um recurso em testes no Twitter, lançado em dezembro passado. 

Nele, usuários criam salas de áudio para bater papo ou reunir uma plateia em tempo real – ideia muito similar ao Clubhouse.