Sri Lanka irá vender vistos de residência e trabalho em busca de recursos

Manifestantes reunidos em Colombo pedem a renúncia do presidente (AFP/ISHARA S. KODIKARA) (ISHARA S. KODIKARA)

Em crise por falta de recursos, o Sri Lanka anunciou nesta terça-feira que irá vender vistos de longa duração, no momento em que o país insular, localizado ao sul da Índia, está sem dólares para comprar alimentos e petróleo.

Os estrangeiros que depositarem no país um mínimo de 100.000 dólares poderão viver e trabalhar por 10 anos no Sri Lanka sob o "Programa de Vistos Paraíso Dourado", anunciou o governo. O dinheiro permanecerá em uma conta bancária local durante a estadia.

"Este esquema irá ajudar o Sri Lanka, no momento em que enfrentamos a pior crise financeira desde a nossa independência", declarou em Colombo o ministro da Imprensa, Nalaka Godahewa. O governo também aprovou a concessão de vistos de cinco anos para qualquer estrangeiro que investir ao menos US$ 75.000 na compra de um apartamento na ilha.

Uma grave falta de alimentos, combustível e remédios provocou protestos generalizados, com milhares de pessoas acampadas em frente ao gabinete do presidente Gotabaya Rajapaksa para exigir a sua renúncia.

O colapso econômico do Sri Lanka começou a ser sentido depois que a pandemia cortou a receita do turismo e das remessas. A atual incapacidade do país de pagar as importações de combustível levou a extensos apagões para economizar energia e a longas filas nos postos de gasolina.

Os hospitais carecem de medicamentos e o governo pediu a seus cidadãos no exterior que façam doações.

aj/gle/mtp/mas/mar/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos