Startup francesa de computação quântica levanta 100 milhões de euros

Por Jane Lanhee Lee

OAKLAND, Estados Unidos (Reuters) - A startup francesa de computadores quânticos PASQAL disse nesta terça-feira que levantou 100 milhões de euros e pretende oferecer grandes vantagens comerciais sobre os computadores clássicos no próximo ano usando os novos recursos.

O investimento é a maior rodada de financiamento privado para uma startup de computadores quânticos na Europa, de acordo com Georges-Olivier Reymond, presidente-executivo e cofundador da PASQAL. Ele ocorre quando o colapso do preço das ações de três fabricantes de computadores quânticos listados em Nova York, IonQ , Rigetti Computing e D-wave Quantum, tornou o financiamento para o setor mais difícil.

"Como as outras empresas provavelmente terão dificuldades para encontrar dinheiro e assim por diante, talvez seja uma boa oportunidade para aproveitarmos os talentos disponíveis", disse Reymond à Reuters, acrescentando que a PASQAL planeja dobrar seu quadro de funcionários para cerca de 200 neste ano.

A PASQAL recentemente vendeu dois computadores quânticos para centros de computação de alto desempenho na França e Alemanha, e Alain Aspect, um dos fundadores da PASQAL, ganhou o Prêmio Nobel de Física de 2022 por experimentos em mecânica quântica que lançaram as bases para a computação quântica.

Os computadores quânticos podem fazer operações milhões de vezes mais rápidas do que os supercomputadores mais poderosos de hoje.

“Quando lançarmos a próxima geração de dispositivos com centenas de qubits, esperamos que 1.000, isso vai mostrar a verdadeira vantagem dessa tecnologia, esse será o ponto de inflexão da receita”, disse ele sobre quando o faturamento da companhia poderá acelerar.

O número de qubits, ou bits quânticos, é uma indicação do poder de processamento de um computador quântico. O modelo mais recente do PASQAL tem 350 qubits.

A rodada de financiamento foi liderada pelo novo investidor Temasek, empresa de investimento estatal de Cingapura. Outros novos investidores incluem o Fundo do Conselho Europeu de Inovação (EIC), Wa'ed Ventures, da Saudi Aramco; e Bpifrance.