Stephen King critica Musk por cobrar selo azul do Twitter: "F...-se isso"

Elon Musk já sinalizou a sua vontade de cobrar pelos perfis verificados. No entanto, uma pesquisa no Twitter mostra que a maior parte dos usuários da rede não estão dispostos a pagar valor algum por isso (Photo by Nikolas Kokovlis/NurPhoto via Getty Images)
Elon Musk já sinalizou a sua vontade de cobrar pelos perfis verificados. No entanto, uma pesquisa no Twitter mostra que a maior parte dos usuários da rede não estão dispostos a pagar valor algum por isso (Photo by Nikolas Kokovlis/NurPhoto via Getty Images)
  • Pesquisa no Twitter aponta que grande parte dos usuários reprova a ideia proposta por Elon Musk de pagar pelo verificado;

  • Quatro em cada cinco contas pesquisadas disseram que não estavam dispostas a desembolsar um mínimo de US$ 5 por mês pela cobiçada marca de seleção azul;

  • Stephen King foi particularmente contundente sobre a perspectiva de pagar pela verificação.

Elon Musk já sinalizou a sua vontade de cobrar pelos perfis verificados. No entanto, uma pesquisa no Twitter conduzida pelo podcaster Jason Calacanis mostra que a maior parte dos usuários da rede não estão dispostos a pagar valor algum por isso. Um dos críticos foi o escritor Stephen King.

Com mais de 800.000 respostas até o momento, quatro em cada cinco contas pesquisadas disseram que não estavam dispostas a desembolsar um mínimo de US$ 5 por mês pela cobiçada marca de seleção azul ao lado do nome. O aclamado autor de terror foi particularmente contundente sobre a perspectiva de pagar pela verificação.

Traduzindo: "20 dólares por mês para manter meu verificado? F...-se, eles que deveriam me pagar. Se isso for instituído, vou embora como a Enron".

Quem também contestou a ideia foi o ativista político e apoiador do Partido Democrata Max Berger, que possui um perfil verificado com 73.000 seguidores, e avaliou que a iniciativa "é como pagar por Super Likes no aplicativo de conexão Tinder".

Um número muito pequeno, abaixo de 6%, votou que estava preparado para desembolsar US$ 15 apenas para tuitar de uma conta verificada. No entanto, na avaliação do portal Fortune, como a plataforma possui 238 milhões de usuários em todo o mundo, incluindo quase 42 milhões apenas nos Estados Unidos, portanto, mesmo um pequeno número disposto a se inscrever geraria uma receita significativa.

"Para gerar um retorno sobre seu grande investimento, Musk disse a seu rico grupo de coinvestidores que deseja uma receita recorrente mais estável daqui para frente", diz a reportagem. De acordo com o The New York Times, as assinaturas devem gerar quase US$ 10 bilhões em receita em 2028.