Sterling diz que perdeu familiares para o coronavírus e pede cautela na volta do futebol

O atacante Raheem Sterling, do Manchester City, confidenciou que perdeu familiares para o coronavírus. Em entrevista ao jornal britânico "The Sun", o craque inglês disse que revelar as mortes de parentes e de pessoas próximas de Covid-19 serve para alertar as pessoas sobre o perigo da volta do futebol na Premier League, algo que estava sendo cogitado, mas foi barrado pelo primeiro-ministro, Boris Johnson. A quarentena na Inglaterra foi prorrogada até junho justamente para diminuir o número de infectados e de óbitos.

"Um amigo muito próximo perdeu a avó. Membros da minha família também morreram. Portanto, temos que ser inteligentes e cuidar de nós mesmos e daqueles que nos rodeiam. Somos todos apaixonados pelo futebol, todos amamos o futebol e queremos que ele volte. Mas estamos passando por uma pandemia. Quando voltarmos, devemos garantir que não seja por motivos puramente futebolísticos e que seja seguro para todos", disse o jogador, de 25 anos.

Sterling afirmou que não tem medo do regresso do futebol, mas assume "ter reservas", mesmo que tenham cuidados. O jogador apela a que a Premier League apenas seja retomada "no momento certo, quando a segurança de todas as pessoas e jogadores for garantida".

"Eu estou ansioso por esse momento e que tudo corra bem quando voltarmos. Não sei como será. Mas quando a segurança das pessoas e jogadores estiver garantida, e momento é o momento certo para voltarmo", disse.