STF amplia prazo até 5 de janeiro para governo responder sobre vacinação de crianças contra Covid

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Criança recebe vacina contra Covid-19 em Montreal, no Canadá
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Ricardo Lewandowski
    Jurista e magistrado brasileiro, Ministro do Supremo Tribunal Federal

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu ampliar para 5 de janeiro o prazo para que o governo federal apresente informações a respeito da vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19.

"Defiro o pedido formulado pela Advocacia-Geral da União de prorrogação do prazo para a apresentação de informações complementares, até o dia 5 de janeiro de 2022, das quais deverão constar, dentre outros dados considerados pertinentes pelo Governo Federal", disse Lewandowski em despacho.

Inicialmente, o ministro do STF havia dado 48 horas para o governo se pronunciar sobre a inclusão de crianças no plano nacional de vacinação contra Covid-19, prazo que se encerraria nesta segunda.

A decisão de Lewandowski fora dada na sexta-feira, um dia após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar a aplicação do imunizante da Pfizer para essa faixa etária.

Mesmo com a decisão da Anvisa, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, têm questionado a inclusão de crianças no plano de vacinação. Queiroga, por exemplo, disse que ainda quer aprofundar a discussão do caso e que não há urgência para uma tomada de decisão.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos