STF decide que Maia deve responder a questionamentos e decidir sobre suspensão da reforma administrativa

Extra
·1 minuto de leitura
Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo
Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) deve responder aos questionamentos feitos no Mandado de Segurança 37488 sobre os dados utilizados como base para o texto da reforma administrativa, a proposta de emenda à Constituição (PEC) 32/2020 e também pela suspensão da tramitação do texto. Na decisão, o ministro Marco Aurélio excluiu o ministro da Economia, Paulo Guedes, da responsabilidade.

O mandado foi impetrado pelos integrantes da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) e requere a suspensão da tramitação da PEC, uma vez que, de acordo com os autores, não houve a divulgação de todos os elementos que contribuíram para a elaboração do texto apresentado pelo Poder Executivo Federal, especialmente aqueles que tratam dos impactos orçamentários da proposta.

Leia mais:

Segundo a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara dos Deputados, a Casa vai apresentar informações nos autos do mandado de segurança, “em atenção à decisão do Ministro Marco Aurélio, nos termos da lei que rege essa ação”, informou por meio de nota.