STF e TSE não adotaram medida para para cassar cristãos eleitos

Culto é celebrado na Paroquia Imaculada Conceição, em São Paulo, em 27 de fevereiro de 2022 (Foto: Reuters / Carla Carniel)
Culto é celebrado na Paroquia Imaculada Conceição, em São Paulo, em 27 de fevereiro de 2022 (Foto: Reuters / Carla Carniel)
  • Um vídeo circula nas redes sociais junto à alegação de que o STF quer "tirar Deus da democracia"

  • Segundo a publicação, o TSE também poderia cassar todos os cristãos eleitos

  • Informação, no entanto, é falsa e distorce conteúdos sobre outros assuntos

Um vídeo com mais de 1.400 visualizações circula nas redes sociais junto à alegação de que o "STF quer tirar Deus da Democracia" e que o TSE poderá "cassar todos os candidatos cristãos eleitos". A gravação mescla um trecho de uma reportagem com um vídeo de uma advogada sobre uma proposta do ministro Edson Fachin.

Os conteúdos, porém, foram retirados de contexto e não foram encontrados registros sobre qualquer decisão dessas instituições que vise revogar os mandatos de políticos cristãos.

Captura de tela de uma publicação alegando que STF e TSE querem cassar cristãos eleitos (Foto: Instagram / Reprodução)
Captura de tela de uma publicação alegando que STF e TSE querem cassar cristãos eleitos (Foto: Instagram / Reprodução)

O primeiro vídeo utilizado na montagem viral se trata de uma reportagem de 2018 que foi ao ar no Jornal das 22, do canal RIT Notícias. O registro da transmissão foi publicado na página do Facebook do noticiário.

A notícia, porém, trata de uma medida adotada na Bolívia, como mencionado no vídeo completo e na legenda da publicação: "governo da Bolívia contra pregação do evangelho". A medida, no entanto, teve sua aplicação revogada no país.

No segundo trecho do conteúdo viral, uma advogada aparece se posicionando sobre uma proposta do ministro Edson Fachin, repercutida pela revista Veja.

A proposição, no entanto, não tratava sobre a cassação do mandato de políticos cristãos, mas da perda do mandato por parte daqueles que praticassem o chamado "abuso de poder religioso". A tese proposta pelo ministro foi rejeitada e não chegou a ser adotada pelo TSE.

Buscas nos portais da Câmara de Deputados e do Senado Federal não identificaram registros de projetos de lei que visem cassar o mandato de políticos cristãos. Pesquisa semelhante por decisões do STF e do TSE nesse sentido não foram identificadas.

Conteúdo semelhante foi verificado pelo Aos Fatos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos