STF julgará se Lira deve ter prazo para decidir sobre impeachment em plenária presencial

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Lewandowski diz que reagiu a críticas em voo para "defender a honra do Supremo"
Foto: Reprodução
  • Pedido foi feito pelo ministro Lewandowski

  • Para ele, tema tem muita importância para ser debatido de forma virtual

  • Presidente do STF deve estabelecer data para julgamento

O julgamento sobre a determinação de prazo para que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), decida sobre os pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi interrompido no Supremo Tribunal Federal (STF), após pedido de destaque do ministro Ricardo Lewandowski. O ministro pediu que o debate do caso não siga de forma virtual e passe para a plenária presencial.

Leia também

Segundo nota do gabinete de Lewandowski, o ministro “entende que a importância do tema demanda uma análise mais aprofundada em sessão presencial e não em julgamento virtual”.

Agora, caberá ao presidente do STF, ministro Luiz Fux, estabelecer a data para o julgamento. A ministra Carmen Lúcia, relatora do caso, havia votado contra a fixação de prazo.

No momento, existem 137 pedidos de impeachment entregues à Câmara dos Deputados, sendo 71 protocolados após Lira assumir a presidência. O último pedido foi apresentado pelo deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) na última quarta-feira (8).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos