STF nega pedido de Lula para analisar seus processos da Lava Jato

Foto de arquivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Rio de Janeiro 03/12/2015 REUTERS/Ricardo Moraes

(Reuters) - O plenário do Supremo Tribunal Federal negou por unanimidade nesta quinta-feira pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que os processos em que é investigado na operação Lava Jato tramitassem na corte, informou o STF em nota em seu site.

O relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, disse que Lula não poderia fazer o pedido, já que ele tramita em uma reclamação movida pela ex-presidente Dilma Rousseff na qual Lula foi admitido como parte pelo então relator do caso, o ministro Teori Zavascki, morto em um acidente aéreo em janeiro.

Na reclamação, Dilma alegava que o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, usurpou competência do STF ao autorizar a interceptação de diálogos telefônicas dos quais a então presidente, que tinha prerrogativa de foro junto ao Supremo, participava.

Na ocasião, Teori determinou o sigilo das gravações e sua remessa ao STF.

Posteriormente, no entanto, Dilma teve o mandato cassado em um processo de impeachment, o que fez com que Teori enviasse a Moro os processos que envolvem o ex-presidente na Lava Jato.

Lula é réu em três processos da Lava Jato, dois deles tramitam com Moro em Curitiba, o outro corre na Justiça Federal do Distrito Federal.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)