STF quer reconstruir prédio vandalizado por golpistas até o fim do mês

BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  09-01-2023, Prédio sede do Supremo Tribunal Federal (STF) e a estátua da Justiça com as marcas da destruição causada pelo protesto golpista feito por bolsonaristas na tarde de ontem. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, BRASIL, 09-01-2023, Prédio sede do Supremo Tribunal Federal (STF) e a estátua da Justiça com as marcas da destruição causada pelo protesto golpista feito por bolsonaristas na tarde de ontem. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O STF (Supremo Tribunal Federal) prevê concluir a restauração do plenário, danificado na invasão de manifestantes golpistas, até o fim do recesso do Judiciário. A próxima sessão presencial está mantida para 1º de fevereiro.

O edifício-sede está passando por perícia nesta segunda-feira (9) e permanecerá fechado até a conclusão dos trabalhos. Os anexos 1 e 2, onde funcionam o restaurante e os gabinetes, seguem funcionando normalmente.

A presidente do STF, ministra Rosa Weber, disse que Suprema Corte "não se deixará intimidar por atos criminosos e de delinquentes infensos ao Estado democrático de Direito".

Em nota, ela disse que "o edifício-sede do STF, patrimônio histórico dos brasileiros e da humanidade, foi severamente destruído por criminosos, vândalos e antidemocratas".

"Lamentavelmente, o mesmo ocorreu no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto. As sedes dos três Poderes foram vilipendiadas. O Brasil viveu neste domingo uma página triste e lamentável de sua história, fruto do inconformismo de quem se recusa a aceitar a democracia", afirmou.