STF responde Bolsonaro sobre combate à Covid: 'uma mentira contada mil vezes não vira verdade'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
The Statue Of Justice by Alfredo Ceschiatti in front of the Supremo Tribunal Federal or Supreme Federal Court on the Praca dos Tres Poderes in Brasilia, Brazil, with the Palacio do Congresso Nacional or Palacio Nereu Ramos, home to the Brazilian Parliament, in the background, circa 1970. (Photo by Archive Photos/Getty Images)
The Statue Of Justice by Alfredo Ceschiatti in front of the Supremo Tribunal Federal or Supreme Federal Court on the Praca dos Tres Poderes in Brasilia, Brazil, with the Palacio do Congresso Nacional or Palacio Nereu Ramos, home to the Brazilian Parliament, in the background, circa 1970. (Photo by Archive Photos/Getty Images)
  • Resposta foi dada através de vídeo postado nas redes sociais;

  • Supremo afirma que jamais proibiu o governo federal de agir no combate à pandemia;

  • No sábado, Bolsonaro disse que "se estivesse coordenando a pandemia, não teria morrido tanta gente".

Em publicação feita nesta quarta-feira nas redes sociais, o Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que jamais proibiu o governo federal de agir no combate à pandemia de covid-19, conforme vem sendo dito pelo presidente Jair Bolsonaro. "Uma mentira contada mil vezes não vira verdade", dizia a postagem através de vídeo, além de alertar sobre o perigo das fake news. 

O vídeo explica que, conforme decisão do plenário, União, estados e municípios têm “competência concorrente” para agir na pandemia".

Bolsonaro e seu entorno vêm afirmando que a decisão do Supremo de abril de 2020 sobre a competência dos estados para decidir medidas de contenção do vírus teria limitado a atuação do governo federal. O entendimento do STF, no entanto, é de que todos – União, Estados e municípios – são responsáveis por esse enfrentamento.

Leia também

No último sábado, o presidente disse: "Se eu estivesse coordenando a pandemia, não teria morrido tanta gente", afirmou a apoiadores que estavam no Palácio do Alvorada.

Esta não é a primeira medida que o Supremo toma contra declarações a respeito da competência concorrente para medidas de combate à pandemia. Em janeiro, a Corte divulgou uma nota rebatendo a informação de que teria proibido o governo federal de agir.

"Na verdade, o Plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Esse entendimento foi reafirmado pelos ministros do STF em diversas ocasiões", disse o comunicado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos