Stone corta 20% dos funcionários devido à crise do coronavírus

Stone corta 20% dos funcionários devido à crise do coronavírus

A empresa de pagamentos digitais Stone terá de cortar até 20% de sua força de trabalho devido à crise imposta pela pandemia do novo coronavírus. A notícia foi dada aos funcionários na manhã desta terça-feira (12) pelo CEO da empresa, Tiago Piau, em uma carta, segundo informações da Folhapress.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo o texto, a empresa sempre seguiu a estratégia de ter 100% da equipe na folha de pagamento. Mas com o tombo nas vendas do varejo, houve o que o executivo chamou de "descasamento entre investimentos e receitas". Foram cortados 1.300 funcionários.

Leia também

Para decidir quem seriam as pessoas cortadas, Piau disse que a empresa seguiu seus valores: "meritocracia, busca pela excelência e carinho pelas pessoas. Vamos preservar aqueles com melhor desempenho em cada área, consolidar estruturas e melhorar processos".

A empresa também diz que estenderá o plano de saúde e o pagamento do auxílio alimentação, doará computador e celular e também dará uma ajuda em dinheiro aos demitidos. Para ajudar na recolocação profissional dos funcionários cortados, também está oferecendo dois meses de assinatura do LinkedIn Premium.

Dados de outras empresas de maquininhas de cartão rivais da Stone e de associações comerciais indicam que o fechamento de serviços não-essenciais levou a uma queda de até 70% no comércio e nas vendas de bares e restaurantes.

A Stone, que tem ações negociadas na bolsa de valores dos Estados Unidos, divulgará os resultados do primeiro trimestre em 26 de maio.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.