Streamings da Disney superam Netflix e lideram no número de assinantes

De todos os streamings do grupo, Disney+ lidera no número de assinantes (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
De todos os streamings do grupo, Disney+ lidera no número de assinantes

(Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

  • Netflix é superada em número de assinantes;

  • Streamings da Walt Disney Company ultrapassaram a pioneira com 221,1 milhões de clientes;

  • Plataformas incluem Disney+, ESPN+ e Hulu.

Pela primeira vez na história, a Netflix foi superada por um rival no número de assinantes. O feito foi alcançado pelas múltiplas plataformas da Walt Disney Company, que incluem Disney+, ESPN+ e Hulu, conforme divulgado pelo estúdio na última quarta-feira (10).

Enquanto os streamings da Disney acumulam 221,1 milhões de assinantes ao redor do mundo, a Netflix reportou 220,6 milhões – cerca de quinhentos mil a menos. A pioneira do setor perdeu milhares de clientes no primeiro trimestre de 2022, declínio que aconteceu pela primeira vez em 10 anos.

Com relação a cada plataforma da Walt Disney, há:

  • 152 milhões de assinantes da Disney+

  • 22,8 milhões de assinantes da ESPN+

  • 46,2 milhões de assinantes da Hulu

Dados de plataformas exclusivas de alguns territórios – como o Star+ brasileiro – não foram revelados.

Queda nas ações

Embora esperasse um crescimento de 2,5 milhões de usuários entre janeiro e março deste ano, a Netflix teve que lidar com a perda de 200 mil assinantes no primeiro trimestre de 2022. O resultado negativo em número de clientes nos balanços do período não acontecia desde 2011.

Segundo a empresa, um dos principais motivos pelo qual o streaming não foi capaz de atingir a meta foi a suspensão das atividades da Rússia como forma de boicote à invasão da Ucrânia. A companhia teria perdido cerca de 2 milhões de assinantes somente com esta decisão.

Um dia depois da divulgação dos resultados, as ações da Netflix derreteram na bolsa de Nova York. O serviço de streaming registrou uma queda de 35% nas negociações na quarta-feira (20) e viu evaporar nada menos que R$ 249 bilhões (US$ 54 bilhões) em seu valor de mercado.

A queda respingou em outras empresas do ramo, com as ações de Walt Disney, Roku e Warner Bros Discovery caindo mais de 5,5% cada.