Stripe, de pagamentos digitais, vai demitir 14% da força de trabalho

BENGALURU (Reuters) - A Stripe, gigante de pagamentos digitais que foi avaliada em 95 bilhões de dólares em sua última rodada de financiamento, está reduzindo sua força de trabalho em cerca de 14%, entrando na onda de startups que estão cortando investimentos diante da fraqueza do cenário macroeconômico.

Após as demissões, a Stripe terá cerca de 7 mil funcionários, segundo um email aos trabalhadores enviado pelos fundadores Patrick e John Collison nesta quinta-feira.

Os cortes acontecem meses depois que a Stripe reduzir sua avaliação interna em 28%.

"Estávamos muito otimistas sobre o crescimento da economia da internet no curto prazo em 2022 e 2023 e subestimamos a probabilidade e o impacto de uma desaceleração mais ampla da economia", afirmaram os fundadores da empresa. Segundo eles, a Stripe contratou pessoal em demasia e aumentou os custos operacionais muito rapidamente.

(Por Niket Nishant)