Suécia: investigação preliminar confirma sabotagem nos gasodutos Nord Stream

As explosões que afetaram em setembro os gasodutos Nord Stream 1 e 2 no Mar Báltico, construídos para transportar gás russo na Europa, foram uma sabotagem, anunciou nesta sexta-feira o procurador responsável pela investigação preliminar na Suécia.

"As análises feitas mostram restos de explosivos em vários dos objetos estranhos encontrados", afirma em um comunicado o procurador Mats Ljungqvist, que comanda a investigação preliminar aberta após a descoberta, no final de setembro, de quatro grandes vazamentos de gás nos gasodutos que ligam a Rússia com a Alemanha.

"A continuidade da investigação preliminar mostrará se alguém pode ser processado", acrescentou a Promotoria.

Duas avarias foram registradas na zona econômica da Suécia e duas na da Dinamarca.

As inspeções preliminares submarinas reforçaram as suspeitas de uma sabotagem, pois os vazamentos foram precedidos por explosões, segundo os investigadores.

No fim de outubro, o consórcio Nord Stream, que tem a empresa russa Gazprom como acionista majoritário, enviou um navio civil de bandeira russa para inspecionar a zona sueca.

Em novembro, o Nord Stream também recebeu autorização para inspecionar a zona dinamarquesa e uma investigação ainda está em curso.

Os dois gasodutos estão no meio da tensão geopolítica desde o início da guerra na Ucrânia, agravada pela decisão da Rússia de interromper o fornecimento de gás para a Europa em represália às sanções ocidentais.

aco/cbw/pta/mis/es/mar/fp