Suíça chega mais experiente para reencontro com Brasil, diz Shaqiri

Xherdan Shaqiri durante treino da Suíça na Copa do Mundo

Por Gabrielle Tétrault-Farber

DOHA (Reuters) - O meio-campista Xherdan Shaqiri disse neste domingo que a Suíça chega para o jogo contra o Brasil pela fase de grupos da Copa do Mundo do Catar, na segunda-feira, com mais experiência do que quando empatou com os brasileiros na estreia das equipes no Mundial de 2018.

A partida pelo Grupo G será a terceira vez que a Suíça enfrentará o Brasil em uma Copa do Mundo. As equipes se enfrentaram pela última vez na fase de grupos do torneio de 2018, na Rússia, onde empataram em 1 x 1.

Shaqiri, que está em sua quarta Copa do Mundo consecutiva pela Suíça, disse que os suíços se sentem capazes de obter um resultado melhor contra o Brasil desta vez.

"Foi um resultado positivo", disse Shaqiri sobre o empate de 2018. "Estamos cientes do que podemos fazer e acho que fizemos progressos. Temos mais experiência e temos sido desafiados por equipes maiores desde então".

A Suíça chegou à fase de mata-mata em três de suas quatro últimas Copas do Mundo, sendo eliminada na fase de grupos apenas em 2010. O Brasil, invicto nas eliminatórias para o Catar, é favorito para conquistar um sexto título mundial este ano.

O técnico da Suíça, Murat Yakin, disse que a ausência de Neymar na escalação brasileira devido a uma lesão no tornozelo não teve qualquer impacto na preparação ou nas táticas suíças.

"Acho que esse time tem jogadores excelentes o suficiente para construir três equipes", disse Yakin sobre o Brasil. "O desafio não vai ficar mais fácil para nós".

A Suíça venceu Camarões por 1 x 0 em sua partida de abertura no Mundial e uma vitória contra o Brasil a levaria às oitavas de final se a Sérvia não conseguir vencer Camarões, também na segunda-feira.

Shaqiri disse que a Suíça não poderia desperdiçar nenhuma oportunidade de gol para ter uma chance de derrotar o Brasil.

"Se você não tem muitas oportunidades, você realmente precisa aproveitá-las", disse. "É isso que queremos fazer amanhã".