Suíça vence França nos pênaltis após empate (3-3) e vai às quartas da Euro

·4 minuto de leitura

Um pênalti perdido pelo astro Kylian Mbappé na última cobrança deu à Suíça a classificação para as quartas de final da Eurocopa depois de ter empatado em 3 a 3 no tempo regulamentar, nesta segunda-feira em Bucareste.

A França vencia por 3 a 1, faltando dez minutos para o final, quando a Suíça conseguiu levar o jogo para a prorrogação e garantiu a classificação para as quartas de final na disputa por pênaltis em que só Mbappé perdeu a sua.

Nos 90 minutos regulamentares, a Suíça marcou um gol de cabeça com seu '9' Haris Seferovic (15, 81), antes de Mario Gavranovic (90) levar o duelo para a o tempo extra.

Os gols franceses foram de autoria de Karim Benzema, em três minutos alucinantes (57 e 59), seguido por Paul Pogba com um lindo chute no ângulo de fora da área (75).

Como se isso não bastasse, o goleiro e capitão da França, Hugo Lloris, havia defendido um pênalti de Ricardo Rodriguez (55) pouco antes da dobradinha de Benzema. A Suíça vai enfrentar a Espanha nas quartas de final na sexta-feira em São Petersburgo.

Mais cedo, a 'Roja' eliminou a Croácia vencendo por 5 a 3, também em um jogo dramático, com prorrogação.

Será a primeira vez na história que os helvéticos entrarão nessa fase na Eurocopa.

"Reagir após estar perdendo por dois gols de diferença para os campeões mundiais, em um momento em que estávamos um pouco abatidos... Estou muito orgulhoso desta equipe", disse o goleiro suíço Yan Sommer. "Com 3-1 ninguém acreditava em nós, mas antes do jogo tínhamos dito a nós mesmos: 'Aconteça o que acontecer, seja qual for o cenário, vamos lutar até o fim'", explicou.

"Uma vitória como esta nos faz avançar mentalmente e também nos dá muita confiança", afirmou o treinador da Suíça, Vladimir Petkovic.

Já do lado da França, ficou a decepção. "Precisamos de tempo para digerir isso (a derrota), mas sem dúvida não merecíamos mais", disse o técnico dos 'Bleus', Didier Deschamps.

Deschamps foi obrigado, antes do duelo, a modificar seu esquema e colocar em campo uma defesa com três zagueiros devido às lesões dos laterais-esquerdos Lucas Hernandez e Lucas Digne.

- Suíça perde pênalti e sofre virada -

Os lances de perigo começaram logo cedo. Steven Zuber cruzou da esquerda para a trave mais próxima e Seferovic, após superar Clément Lenglet, empurrou para o gol (15).

A França reagiu rapidamente, mas sem se desorganizar. Kylian Mbappé (27) com dois chutes consecutivos e Adrien Rabiot (29) tentaram de longe.

No entanto, os franceses não pareciam nada confortáveis atrás, o sistema implantado os confundiu e a Suíça chegava com facilidade às proximidades de sua área.

Deschamps fez mudanças e no intervalo tirou Lenglet, que já havia recebido um cartão amarelo, para a entrada de Kingsley Coman, voltando a uma defesa de quatro com Rabiot como lateral esquerdo.

O início do segundo tempo foi eletrizante. Griezmann se apoiou em Mbappé, que já havia visto Benzema se desmarcar. Com uma movimentação brilhante, o atacante do Real Madrid se afastou dos zagueiros e superou o goleiro Yann Sommer, que demorou a sair (57).

O gol de empate foi um duro golpe para a Suíça. Antes do gol do camisa 19 francês, Ricardo Rodriguez havia perdido um pênalti cometido por Benjamin Pavard (55). O lateral suíço cobrou rasteiro à direita de Lloris, que pulou e fez uma bela defesa.

- Pesadelo para Mbappé -

A França aproveitou o estado de choque que atingiu a seleção suíça. Pogba roubou uma bola na entrada da área adversária, Coman tabelou com Griezmann, cujo chute foi levemente desviado por Sommer, mas a bola sobrou perfeita para Benzema empurrar de cabeça para as redes (59).

Depois foi a vez de Pogba, que vinha fazendo uma grande partida, ampliar. Ele ajeitou de fora da área e disparou um chute impressionante que foi no ângulo esquerdo de Sommer (75).

Os 'Bleus' não devem ter assistido a partida anterior, entre Espanha e Croácia (5-3) já que, assim como os espanhóis, também relaxaram quando venciam por 3 a 1 e acreditavam que a classificação estava garantida.

Primeiro Seferovic diminuiu de cabeça (81) após um cruzamento de Kevin Mbabu.

Depois, após uma disparada de Gavranovic (90), a Suíça conseguiu o que parecia impossível, empatando no final do jogo, como havia feito a Croácia e levou a partida para a prorrogação.

O ritmo alucinante continuou nesses minutos extras, em que Benzema não participou. Devido a uma lesão pediu para ser substituído por Olivier Giroud.

A França esteve perto de marcar o quarto, mas Sommer cresceu diante de Pavard (95) e Mbappé reapareceu para chutar muito longe (111).Giroud também teve sua chance, mas seu chute saiu muito desviado (115). O esguio atacante do Chelsea ainda teve a última cabeçada, mas Sommer voou para defender (119).

Na disputa por pênaltis, todos haviam convertido até chegar a vez de Mbappé. A Suíça marcou os cinco pênaltis e, quando o atacante do PSG chutou para a direita, Sommer e defendeu de mão trocada.

"Muito difícil virar a página. A tristeza é imensa depois dessa eliminação", escreveu Mbappé em suas redes sociais, após a derrota.

Já Granit Xhaka, meia e capitão da Suíça, comemorou a façanha: "Estamos escrevendo uma página da história hoje. Todo suíço, não importa onde more, pode se orgulhar".

gh/mcd/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos