De suas varandas, moradores de condomínios fazem aula de dança

RIO — Acostumado a dar aulas de dança em condomínios e academias, o coreógrafo Luiz Fernando da Silva (@lifefundance) foi chamado logo no início da pandemia por um síndico para animar um residencial no Recreio. A aula durou cerca de 90 minutos e, das sacadas, dezenas de moradores imitaram seus passos. Os apartamentos que não tinham vista para a piscina puderam acompanhar a aula pelo aplicativo Zoom, que contabilizou 500 alunos on-line.

— Depois que o Mumuzinho deu um show em sua varanda, todos ficaram com vontade de fazer algo. Esse síndico me procurou e topei a experiência. Não cobrei nada porque sei da importância de manter as pessoas ativas e com saúde mental e emocional neste momento. A dança ajuda muito — afirma.

Entusiasmado, Silva já deu outras três aulas neste formato, e a próxima será nesta quarta-feira no condomínio Wonderful. Por enquanto, somente prédios do Recreio têm procurado a atividade, que se tornou uma fonte de renda para o profissional.

— No momento, minha única fonte de renda são lives por aplicativo e as aulas nos prédios. Já estive em três condomínios. Num deles, havia uma menina fazendo 15 anos, e comandei a valsa dela com o pai. Todos ficaram emocionados — recorda.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)