Subúrbio do Arizona que votou em Trump pode levar imigrante democrata ao Congresso

Javier TOVAR
·3 minuto de leitura
Hiral Tipirneni, candidata democrata ao Congresso dos EUA por um subúrbio do Arizona
Hiral Tipirneni, candidata democrata ao Congresso dos EUA por um subúrbio do Arizona

Hiral Tipirneni diz ser resultado do chamado sonho americano: esta imigrante indiana, que chegou aos Estados Unidos criança e tornou-se médica, agora busca chegar com os democratas ao Congresso, representando um subúrbio do Arizona que sempre teve um voto republicano.

Tarefa impossível? As pesquisas não se atreveram a projetar um vencedor, uma surpresa para este distrito onde o atual representante, David Schweikert (desde 2013), obteve há dois anos nas últimas eleições 10 pontos de vantagem, a mesma que Trump obteve lá em 2016.

O sexto distrito do Arizona (sudoeste) abrange parte do condado de Maricopa, onde está Phoenix, a maior cidade, e é determinante nos resultados eleitorais de todo o estado: seis em cada 10 eleitores do estado votam lá.

"É o maior condado pendular em toda a nação", disse à AFP Tipirneni, de 53 anos, em seu comando de campanha. "Temos a capacidade não só de impactar este distrito, mas também de impactar o restante do país dependendo do que acontecer no Arizona".

O Arizona será decisivo nas eleições dos Estados Unidos entre mudanças demográficas importantes que tendem a favorecer o Partido Democrata - como um crescimento acelerado das áreas urbanas, uma presença maior de eleitores jovens com educação universitária, assim como uma grande comunidade latina - mas também há muitos conservadores moderados que, decepcionados com Trump, optarão por dar as costas ao partido.

"Este distrito é de pensadores independentes", que "não estão buscando alguém que vá impulsionar apenas a linha de um partido, como faz meu oponente", quem descreve como um "braço da extrema direita do Partido Republicano".

- "Não desistam!" -

O silêncio que se respira no comando da campanha é a demonstração de como a pandemia de coronavírus impactou esse processo eleitoral, no qual os eventos virtuais tornaram-se a regra... ao menos entre os democratas.

"Sinto falta de bater em portas, ter encontros presenciais, falar com as famílias... Falta esse elemento pessoal, mas temos que fazer o que é mais seguro para as pessoas", acrescentou Tipirneni.

"Sou o resultado do sonho americano", afirmou a médica de 20 anos de experiência em uma reunião via Zoom com um grupo de voluntários que chamariam eleitores em seu nome. O Arizona começou a votar em 7 de outubro.

"Não desistam", pediu antes de despedir-se neste encontro em que participou Bradley Whitford, uma das estrelas do drama político "The West Wing".

Tipirneni começou a expor seu plano político, cuja prioridade passa pelo sistema de saúde, em sintonia com a bandeira democrata nesta campanha.

Entre a covid-19 e a consequente crise econômica, "acredito que é a hora perfeita para que um médico de emergências intervenha e diga: estabilizemos a situação, detenhamos a hemorragia, proporcionemos um alívio imediato. E depois armaremos um plano a longo prazo", destacou.

Entretanto, Tipirneni, assim como o restante dos candidatos democratas no Arizona, se esforça para mostrar-se no centro, livre de qualquer laço partidário. 

"A maioria dos americanos estão em algum lugar no meio" e "eu também estou nesse espaço intermediário", afirmou. "É preciso planejar soluções pragmáticas e depois implementá-las. Não tem nada a ver com partido, com ideologia".

jt/dga/aa