Subsecretário de Inteligência exonerado viajou para o exterior às vésperas de operação

Rafael Soares
O coronel Rubens Castro Peixoto Júnior foi exonerado do cargo

O coronel Rubens Castro Peixoto Júnior, exonerado do cargo de subsecretário de Inteligência da PM, viajou para o exterior dois dias antes da operação que prendeu sete policiais que eram chefiados por ele. Peixoto foi retirado do cargo na última sexta-feira, horas após uma ação da  Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) terminar com a prisão de agentes da secretaria acusados de cobrar propina de comerciantes que vendiam produtos contrabandeados ou falsificados na Zona Norte do Rio.

Dois dias antes, o coronel saiu do Rio num voo para os Estados Unidos que fez escala no Panamá. Procurado, o coronel afirmou que "não sabia da operação no dia seguinte" e acrescentou que "a viagem estava marcada desde maio". Já a PM informou, em nota, que o "oficial está de férias regulamentares" e acrescentou que "informações pessoais dos integrantes da corporação não são divulgáveis". O secretário de Polícia Militar, coronel Rogério Figueredo de Lacerda, também está de férias.

Nesta segunda-feira, 11 oficiais que estavam na Subsecretaria de Inteligência foram movidos para outros órgãos da corporação. Entre os destinos dos policiais, estão o 31º BPM (Barra da Tijuca), o 22º BPM (Penha) e até o Estado Maior da PM, por onde passam a maioria dos processos administrativos da corporação.

Peixoto foi convidado por Figueredo para assumir a Subsecretária de Inteligência em meados de junho passado. Na ocasião, ele comandava o 18º BPM (Jacarepaguá). Quando saiu do batalhão, levou consigo todo o seu "staff" para o Quartel Geral da PM, no Centro do Rio. Foram com Peixoto 20 praças e 12 oficiais. Entre eles, cinco dos sete agentes presos pela Polícia Civil, acusados de participarem de uma organização criminosa que extorquia comerciantes.

Quase toda a estrutura do 18º BPM foi levada para a Inteligência. Todos os chefes de departamento interno do batalhão seguiram trabalhando com o coronel no QG. Entre eles, a época, o subcomandante do 18º BPM - o major João Victor Mariano Fialho. As mudanças aconteceram entre os meses de julho e setembro deste ano.