Substância que envenenou cachorros é a mesma que matou pessoas após ingerir cerveja

Substância que matou cachorros é a mesma encontrada nas cervejas Backer (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
Substância que matou cachorros é a mesma encontrada nas cervejas Backer (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
  • Substância etilenoglicol envenenou e matou cachorros em Minas Gerais e São Paulo nos últimos dias

  • Trata-se da mesma encontrada no caso da cervejaria Backer, que vitimou 10 pessoas

  • Caso continua sendo investigado pela polícia mineira

Ao menos nove cachorros morreram nos últimos dias em São Paulo e Minas Gerais após ingerirem petiscos contaminados da marca Bassar.

Eles teriam sido envenenados pela substância etilenoglicol, a mesma do caso da cervejaria Backer.

Na ocasião, 10 pessoas morreram e outras tiveram graves problemas de saúde após ingerir a cerveja Belorizontina, da marca mineira, entre o fim de 2019 e o começo de 2020.

O número de cachorros mortos pela mesma substância subiu para nove na noite de quinta-feira (1º), e a suspeita é de que seja ainda maior.

Até a manhã de quinta, três mortes haviam sido confirmadas, sendo duas em Belo Horizonte e uma em São Paulo. Ao longo do dia, outros cinco óbitos foram anunciados: quatro na capital mineira e um na cidade de Piumhi, no mesmo estado.

A delegada responsável pelo caso, Danúbia Quadros, explicou que há, ainda, outros seis casos suspeitos em Belo Horizonte e dois em Goiás. Os tutores destes animais procuraram o polícia e registraram episódios semelhantes aos ocorridos nas nove mortes.

A suspeita da Polícia Civil e de os animais tenham sido intoxicados por etilenoglicol, em três tipos de petiscos comprados em pet shop: o Dental Care, o Everyday e o Petz Snack Cuidado Oral, todos da marca Bassar.

"São lotes diferentes, são vários lotes. Os petiscos que as tutoras trouxeram para a gente, todos já foram encaminhados para a realização da perícia técnica cientifica da Polícia Civil, então, a gente agora aguarda o laudo em relação aos petiscos", explicou a delegada ao g1.

Danúbia Quadros pediu, ainda, que os tutores que identificarem sintomas em seus cachorros após a ingestão de petiscos desta marca procurem a Polícia Civil para auxiliar na investigação.

Bassar se manifesta

Em nota, a empresa Bassar afirmou que enviou os produtos citados para análise em um laboratório e iniciou a retirada de um lote do produto Everyday, mas salientou que "não há nenhum laudo conclusivo sobre a causa das mortes dos cães".

"Em seus 5 anos de história, a Bassar Pet Food jamais passou por situação semelhante, se solidariza com a dor dos tutores e reforça a confiança nos processos de fabricação, além de reiterar que preza pela qualidade de seus produtos e pelo bem-estar e satisfação de seus clientes."